O #Governo convocará os segurados da Previdência Social que não estão trabalhando devido a problemas de saúde e recebem o auxílio-doença há mais de dois anos, sem data para acabar, a comparecerem a um posto do INSS para a realização de nova perícia. A revisão dos benefícios será realizada a partir do mês de agosto, e os afastados mais jovens serão os primeiros a passar pela perícia, que terá dia e hora previamente agendados.

Neste primeiro momento serão periciados 532 mil segurados. Os segurados que são aposentados por invalidez, em média 1,5 milhão de pessoas, também passarão pela revisão do benefício, porém, em uma segunda etapa, durante o ano de 2017.

Publicidade
Publicidade

As pessoas que tem mais de 60 anos não passarão pela revisão.

As regras sobre o procedimento serão publicadas nos próximos dias, em uma portaria do Ministério da Fazenda, Planejamento e Desenvolvimento Social, mas a orientação é para que os segurados esperem um comunicado do INSS, que chegará ao endereço de suas residências, afinal, a revisão será realizada de forma escalonada.

Ajuste Fiscal

A revisão de benefícios é mais uma medida proposta no ajuste fiscal do governo, e apesar de fazer parte de uma determinação legal, nunca foi realizada, com a justificativa da revisão não atrasar novas concessões. Desta vez, para não ocorrer esse problema, o governo autorizou, através de medida provisória, que os médicos peritos que optarem pela realização de perícias extras, recebam um adicional em seu pagamento.

Publicidade

Um técnico do governo informou que não existe motivo para desespero, pois não haverá maiores dificuldades na perícia, nem foram fixados novos métodos de perícia para os médicos, e aquelas pessoas que realmente estão com problemas de saúde que os incapacitem para o trabalho, continuarão a receber o benefício. 

Beneficiários que não serão convocados

Em torno de 300 mil de beneficiários não serão chamados para a revisão do auxílio-doença, pessoas essas que recebem o benefício há mais de dois anos e que possuem data certa para o final do mesmo. Quando chegar o fim do benefício e caso esses trabalhadores estiverem recuperados, poderão voltar normalmente ao trabalho, caso contrário devem agendar uma nova perícia, com no mínimo 15 dias do fim do auxílio. #PrevidenciaSocial