No início dessa semana, um caso chocou o Brasil e voltou a dar o que falar. Na terça-feira, 19, a Polícia Rodoviária Federal já havia confirmado que apreendeu cerca de mil e quatrocentos quilos de maconha na BR-467. Até aí tudo bem, esse tipo de operação é bem comum em nossas rodovias e mostra o trabalho dos agentes federais. A forma com que foi encontrada a droga que é de surpreender qualquer um e quem a levava também. A maconha, segundo informações dos agentes, estava escondida nos equipamentos musicais da 'Banda Mil', um famoso grupo que toca no Sul do Brasil. Os músicos são do Paraná e possuem até um ônibus próprio, onde estava alocada a droga.

Publicidade
Publicidade

A Polícia quer saber agora se as apresentações musicais eram apenas um disfarce para fazer  o tráfico de drogas, já que podia-se imaginar que os agentes federais não parariam famoso. O grupo que toca "Medianeira" é um sucesso. Os músicos foram detidos. Há quem diga que o show deles era um "barato". Outra coisa curiosa é como a droga foi encontrada. Logo que o ônibus do grupo musical foi parado, dois cães farejadores encontraram os fardos cheios da droga. Apesar de estarem misturados com os instrumentos, não era muito difícil de identificá-los, devido ao grande volume de maconha. A quantidade foi tão grande que a Polícia precisou de reforço. 

O caso ganhou repercussão nacional. A prisão do grupo chegou a virar matéria de televisão. De acordo com informações de uma rádio local, a polícia acredita que o item ilegal na bagagem dos músicos foi adquirido do estado do Mato Grosso do Sul.

Publicidade

Isso porque antes de serem parados, os músicos tinham feito mais um show. Esse foi realizado na cidade de Maracaju. 

A Polícia também acredita em qual seria o destino da maconha. Para os agentes, ela seria levada para o estado de Santa Catarina. A Banda Mil tinha toda uma programação pelo Sul do Brasil, o que talvez explique a alta quantidade encontrada no ônibus. Os seis integrantes da banda foram presos em flagrante. A maconha e os detidos foram encaminhados para a Polícia Civil de Cascavel, que irá apurar melhor o caso. #Crime #Investigação Criminal