Neste domingo, 24, a Força de Segurança Nacional começou a fazer oficialmente a segurança para os jogos olímpicos do Rio de Janeiro. Por enquanto, apenas 10% dos homens estão nas ruas. São agentes  da Polícia Militar, dos bombeiros, do Exército, além de membros de outras Forças Armadas, Marinha e Aeronáutica. Um dos principais pontos em que esses seguranças ficarão é o Complexo Esportivo de Deodoro, o segundo maior dos jogos. Bastou colocar o Exército por lá para criminosos perceberam que com as Forças Armadas não se brinca. Ele aprendeu da pior maneira. 

Vídeo mostra prisão de suspeito em Deodoro

Um vídeo publicado nas redes sociais mostra o que seriam uma das primeiras prisões depois que o efetivo foi montado.

Publicidade
Publicidade

As imagens mostram um grupo do Exército carregando um homem negro, que usa uma bermuda azul e uma camiseta branca. Ele é suspeito de ter cometido um furto na estação. Durante a prisão, o homem tentou se desvencilhar dos agentes, mas não conseguiu. Eles o encaminharam para fora da estação de Deodoro. Os moradores que esperavam pelo transporte público (trem) viram toda a ação e a internet comemorou o que pode ser a redução de importantes índices de criminalidade. 

Veja alguns comentários feitos sobre o assunto em páginas como o Facebook:

"Eu sei que muitos vão falar que esse não é o papel do exército, que as atividades estão elencadas estão na Constituição, e blá, blá, blá, blá... Mas na minha opinião o Exército deveria ir para as ruas,e não só nesse momento de olímpiadas. Essa é minha opinião."

"ico imaginando que quando acabar as "olim-piadas" esses soldados vão voltar para seus quartéis pra tirar serviços nas guaritas dos muros, varrer chão, cortar grama e pintar paredes.

Publicidade

Vamos exigir que sirvam ao país de forma digna, eles são pagos com dinheiro público. Não acho que devam subir morros outros entrar em favelas, isso é trabalho das polícias, mas nada impede de patrulharem a cidade nos pontos vulneráveis."

Veja abaixo o momento em que o suposto assaltante é preso na estação de Deodoro:

#Crime #Investigação Criminal