Bianca Toledo contou que uma babá tentou alertá-la há dois anos, sobre as atitudes do pastor Felipe Garcia Heiderich em relação ao seu filho, hoje com cinco anos. Na época, a moça contou que frequentemente encontrava o menino no berço sem fralda e que via o acusado ir de madrugada até o quarto da criança. O relato foi feito ao site Extra. Ela também agradeceu ao senador Magno Malta pelas redes sociais (veja aqui).

Ele negou as acusações e falou que a babá estava inventando tudo. A moça deixou de trabalhar para eles um ano depois. Bianca disse que não imaginou que um caso de abuso pudesse estar acontecendo, mas que com o tempo começou a desconfiar do marido.

Publicidade
Publicidade

Ela disse que seis meses depois de eles terem se casado, Felipe passou a não querer mais ter relações sexuais com ela, dando sempre uma desculpa de que estava doente. Chegou até a falar que estava com suspeita de tumor na hipófise e ela marcou uma consulta para ele. Porém, o pastor ao permitiu que ela fosse junto, pois iria falar do seu passado e não queria que ela ouvisse.

Desconfiada da atitude, Bianca ligou para a médica, que contou que o pastor mentiu, que ele tinha dupla personalidade e era homossexual. Com a notícia, ela lembrou-se dos alertas da babá e chamou o filho para conversar. Foi então a criança contou que quando a mãe viajava, ele dormia com o padrasto na cama de casal.

Ela também perguntou se ele havia dado banho e a criança fez um relato que foi classificado como horrível, por Bianca.

Publicidade

Ela então começou a levar a criança a um terapeuta, para que ele conseguisse contar mais detalhes e, enquanto isso, fingiu acreditar na doença do marido.

Já na primeira consulta a criança falou que tinha segredos que iria contar, mas só na segunda ele relatou os abusos. Tudo foi gravado e ela procurou orientação dos advogados, que falaram para ela confrontá-lo.

Ela fez isso, pegou seu filho e foi para um hotel. Foi quando Felipe mandou uma mensagem para um amigo falando que iria se matar. Ele foi levado para o hospital e em seguida para uma clínica psiquiátrica. No mesmo dia ela foi à delegacia. Felipe permanece preso em Bangu 10. #Crime #Investigação Criminal #Casos de polícia