Na noite desta quarta-feira, 06, a pastora evangélica Bianca Toledo decidiu voltar a comentar o abuso sexual que o seu filho, de apenas cinco anos, teria sofrido do padrasto. Felipe Heiderich foi preso na terça-feira, 06, após segundo Bianca, revelar o #Crime e que estaria com um "quadro de homossexualidade". Na mensagem publicada no Facebook, a religiosa que tem mais de três milhões de seguidores nas redes sociais, agradeceu ao Senador Magno Malta, eleito pelo Partido da República do Espírito Santo. Ele usou seu espaço no Congresso Nacional para falar sobre o seu suposto crime. Os advogados de Felipe negam que ele tenha estuprado o enteado. 

"Agradeço ao Senador Magno Malta por sua declaração indignada no plenário.

Publicidade
Publicidade

E como amigo da minha família sabe de detalhes tristes e trágicos além de acesso as provas como base de sua indignação", escreveu a mulher que ficou conhecida em toda a mídia por superar um câncer. A foto da reportagem mostra justamente o tratamento por qual ela passou. A cantora ainda compartilhou uma imagem do discurso de Magno Malta no Senado, indicando que concorda com sua frase, pedindo que o pastor tenha a "prisão perpétua". 

Nesta quarta-feira, Bianca Toledo já havia publicado um vídeo em que confirmava que o marido se assumiu homossexual e que o casamento dos dois acabou. Ele está preso no presídio de Bangu 10. De acordo com a pastora, antes de ser preso, ele foi internado em uma clínica psiquiátrica. Felipe é o segundo marido da artista. 

Uma seguidora comentou:

"u teria muito a falar, mas não adiantaria, pois a esmagadora maioria das pessoas não gosta de ler.

Publicidade

Quanto à tragédia da Bianca e do Felipe, minhas orações para ambos e a aplicação da lei e da justiça para tudo que se constitua crime. Lembro, apenas, aos que os aplaudiam de pé e agora lhe lançam pedras na cara, que Deus também perdoa homossexuais e pedófilos. Se a Graça só vai até o limite do padrão ético e moral da igreja, então ela não é Graça, é desgraça embalada por fariseus para ser vendida a incautos..." #Investigação Criminal