A pastora evangélica Bianca Toledo continua a produzir polêmicas nas redes sociais. Após dizer que o ex-marido, Felipe Heiderich, teria confessado ser homossexual e abuso sexualmente do enteado, de apenas cinco anos, a religiosa continua a atacar o ex-companheiro. Bianca chegou a ser acusada pelos seguidores de não ter provas contra o marido. Por isso, na internet, ela decidiu publicar o que seriam imagens encontradas no escritório do parceiro. As fotos foram publicadas no Instagram oficial de Bianca, que foi bloqueado após nova repercussão negativa.  As imagens mostram uma bíblia satânica e até o que seria uma foto de Heiderich maquiado. Uma terceira publicação trazia ele de capuz fazendo uma expressão enigmática. 

Nesta terça-feira, 19, Bianca até postou uma foto ao lado do filho que teria sido molestado.

Publicidade
Publicidade

O pastor evangélico chegou a ser preso preventivamente, mas logo em seguida foi liberado. Em um vídeo publicado no Youtube, ele disse que é inocente. Felipe relatou que sempre acreditou que todo mundo era inocente até que se prove o contrário, mas que a Justiça funciona de maneira contrária a isso. Ele ainda pediu que os que não acreditavam na verdade dele que orassem para que tudo ficasse esclarecido. Felipe chegou a ser internado em uma clínica para dependentes químicos depois que recebeu a acusação de pedofilia. Ele confessa que tomou muitos remédios, mas revelou que só queria dormir muito. 

As imagens publicadas por Bianca foram acusadas de serem montagens, especialmente a que mostra o pastor evangélico acusado de um grave #Crime com os olhos pintados. Aplicativos para celular fazem isso de maneira bem simples. "Objetos encontrados em minha casa, no escritório do acusado, durante sua internação em hospital psiquiátrico após tentativa de suicídio", escreveu  a pastora, que em seguida insinua que o pai do seu ex era o demônio e que esse teria medo do pai dela, que no caso seria Deus. 

Toledo ainda vem sendo criticada pela grande exposição que estar a dar ao caso, especialmente por envolver o próprio filho dela, um menor.  #Investigação Criminal