Nesta terça-feira, 26, uma cédula de papel com o título "Bolão do atentado" começou a repercutir nas redes sociais. O papel mostra uma clara brincadeira (de mau gosto) com a possibilidade da cidade do Rio de Janeiro, que recebe a partir do dia 05 de agosto os jogos olímpicos, ser alvo de um atentado terrorista. A cédula que deu o que falar na internet permite até que o apostador pode indicar o dia em que acha que um ato terrorista irá ocorrer. Lembrando que na semana passada a Polícia Federal prendeu pela primeira vez em solo brasileiro pessoas suspeitas de planejarem um atentado. Ao todo, doze brasileiros foram levados para presídios de segurança máxima.

Publicidade
Publicidade

As prisões foram baseadas na Lei Antiterror. 

O jornal 'O Globo' chegou a repercutir a imagem. Não é certo se existe uma real aposta com o "bolão", envolvendo dinheiro, por exemplo. Muita gente acaba acreditando que, na verdade, o papel é apenas uma forma de protesto com um humor negro, onde um internauta quis aparecer. Não há informações se a Polícia investiga ou não a pessoa que compartilhou as imagens. No entanto, o #Governo brasileiro está tendo um maior cuidado em relação ao assunto terrorismo depois das prisões. Até mesmo a segurança da Olimpíada foi revista depois que os brasileiros suspeitos de terem ligação com o Estado Islâmico foram parar em presídios de Segurança máxima. 

Mais de cem países vão ajudar o Brasil na luta contra o terror. O assunto também une dois rivais brasileiros.

Publicidade

O presidente em exercício Michel Temer, do PMDB, e a presidente afastada Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT), concordam que o país teve toda a preparação necessária para a segurança. Dilma alega que se tudo for seguido à risca dificilmente um atentado assolará o Rio de Janeiro. Opinião parecida teve o atual Ministro da defesa, Alexandre de Moraes, que tentou minimizar a possibilidade de algo ruim atrapalhar a festa olímpica. De qualquer forma, ele avisou que a menor possibilidade de brasileiros ligados ao terrorismo vai gerar prisões.  #Rio2016