Era para ser um ensaio que visava o empoderamento das mulheres, mas que acabou mal. A soldado do Corpo de Bombeiros Lilian Villas Boas de Curitiba, de 32 anos, pode parar na prisão após fazer fotos exibindo os seios. De acordo com informações do jornal 'O Dia' em reportagem publicada nesta quarta-feira, 27, a mulher queria mostrar que todas tem o direito de serem livres. Isso porque o ensaio fotográfico não teria qualquer tipo de retoque. No entanto, os militares se irritaram com a decisão e decidiram punir sua soldado. Ela agora pode ter que amargar alguns dias na detenção. 

As fotos foram realizadas pelo profissional Arnaldo Belotto.

Publicidade
Publicidade

De acordo com ele, outras mulheres também fizeram as imagens. Lilian teria ficado instigada a participar porque concorda com a ideia de que não é necessário passar imagens por grandes retoques de photoshop. O problema foi que após ele publicar as imagens em um site, uma delegada de outro lado do país, o Rio de Janeiro, viu as fotos e entrou em contato com o Corpo de bombeiros. A partir daí começou uma correira que estaria a pressionar a soldado. O fotógrafo teve que prestar vários depoimentos do quartel e as fotos foram apagadas do site menos de 24 horas depois de serem postadas.

Muitos colegas de Lilian estariam fazendo piadas internas. Até mesmo nas redes sociais a pressão é grande. Em entrevista ao G1, Lilian informou que não esperava uma repercussão tão grande. O Corpo de Bombeiros diz que a conduta de sua soldado não condiz com o que é pregado pela corporação.

Publicidade

Por isso, decidiu que ela deveria levar uma punição média. 

O caso ganhou grande repercussão na internet por conta da punição da mulher e também por sua beleza. Na rede social da jovem mulher, ela mostra como gosta do seu trabalho. Ela publica constantemente muitas imagens do trabalho heróico que é feito dos bombeiros. É preciso lembrar que muitas corporações militares tem regras próprias e antes de entrarem nelas, os soldados prestam um juramento de compromisso. 

Reportagem do estagiário Rafael Nascimento #Crime #Investigação Criminal