Na tarde de ontem, 28, um cachorro foi cruelmente agredido com pauladas na cabeça em #Cachoeiro do Itapemirim, no Espírito Santo. Moradores chamaram a polícia e um vizinho filmou a agressão. Até o momento, esse vídeo possui quase seis milhões de visualizações.

Nessa tarde, foi divulgado pela imprensa local de Cachoeiro do Itapemirim, que o cão foi transferido da Zoonoses da cidade para uma clínica particular. No local ele está sendo medicado para não sentir dores e apesar de ter sofrido traumatismo craniano, os veterinários o consideram estável, mas ressaltam que a condição se deve ao fato do animal estar sob efeito de medicamentos.

Publicidade
Publicidade

Os profissionais da clínica estão fazendo o possível para que o cão não perca a visão. Devido aos graves ferimentos na cabeça, acreditava-se que ele tivesse perdido um olho, mas ao ser transferido para uma clínica particular, os médicos conseguiram evitar a remoção do olho e apesar de todos os ferimentos, farão o possível para que ele não perca a visão.

O cãozinho ganhou um nome provisório na clínica veterinária: Carlos Ambrósio, em homenagem ao biomédico que pagou pelos exames que o animal precisou fazer. Apesar de haver campanhas na internet para pagar o tratamento do cão agredido, a clínica deixou claro que nenhuma ONG assumiu os gastos e que todo o tratamento do animal está sendo feito de forma particular, pois a Zoonoses do município não dispõe de clínica para prover os cuidados que o #Cachorro precisa.

Publicidade

O que aconteceu após a agressão

Alguns moradores queriam linchar a dona de casa que decidiu matar o cachorro, entretanto, a polícia militar chegou antes no local. A mulher foi conduzida ao DP regional, onde assinou um termo circunstanciado e responderá criminalmente por #maus tratos contra o animal. A agressora confessou que queria matar o cachorro porque o mesmo havia mordido o filho de um vizinho, que por sua vez havia reclamado com ela pelo fato.

A agressora disse que o animal sempre gera reclamações por parte da vizinhança. O pai do garoto que foi mordido pelo animal, confirmou as reclamações sobre o cachorro, mas acredita que prender o cão já evitaria a frustração da vizinhança.

A pena para maus tratos varia de 3 a 12 meses de reclusão ou multa, aumentando no caso de óbito do animal maltratado. Entretanto, em virtude da falta de vagas nas cadeias e super lotação das mesmas, essas penas costumam ser convertidas em apenas multa ou algum acordo entre o magistrado e o réu. Por ter pena de um ano, o crime é considerado de menor potencial ofensivo.