A Câmara dos Deputados decidiu criar oficialmente nesta segunda-feira, 11, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigará as falcatruas de uma das mais polêmicas leis de benefícios do país, a Lei Rouanet. A CPI foi assinada pelo atual presidente da casa, Waldir Maranhão, eleito pelo Partido Progressista do Maranhão. O presidente deve deixar o cargo nos próximos dias, já que nesta quarta-feira, 13, haverá a eleição para eleger quem ganhará a cadeira de chefe do parlamento. O pleito acontecerá depois da renúncia realizada na semana passada do deputado federal Eduardo Cunha, do PMDB do Rio de Janeiro.

De acordo com fontes, a CPI tem colocado artistas e entidades culturais em pânicos.

Publicidade
Publicidade

O motivo nem é só a possibilidade de um ou outro nome ser investigado, mas o fato de que empresas podem ficar com medo de fazer a renúncia fiscal após a aprovação de captação de projetos pelo Ministério da Cultura, que atualmente é chefiado pelo Ministro Marcelo Calero. O pedido para que a Comissão fosse aberto foi do deputado federal Sóstenes Cavalvante, do Democratas do Rio. Ele teve a ajuda do colega do mesmo partido, Alberto Fraga, que ganhou votos de eleitores do Distrito Federal. A dupla conseguiu nas últimas semanas colher bem mais assinaturas do que o necessário para abrir a CPI. Ao todo foram 212 assinaturas, quando o mínimo  são 171. 

O Senado também estaria a pensar em abrir um CPI sobre o assunto, especialmente depois que a Polícia Federal desencadeou a Operação 'Boquinha Livre', que apura justamente o fato de empresas que usaram irregularmente os benefícios da Lei.

Publicidade

Uma das empresas chegou a bancar o casamento do filho de um dos seus donos com o benefício. Já um escritório de advocacia pagou irregularmente pelo cachê do comediante Fábio Porchat em um evento em que comemorava seu aniversariante. O comediante não é alvo da investigação, pois não há qualquer prova que ele soubesse das irregularidades. 

Em entrevista à Folha de São Paulo, o contratado da TV Record disse que é impossível saber de onde vem os recursos que bancam suas apresentações feitas em todo o país. #PT #Lula #Impeachment