Os crimes aconteceram na cidade de Canela/RS, onde a polícia abriu vários inquéritos para investigar o homem que se dizia pastor. Várias adolescentes foram até a delegacia relatando o assédio sexual. Ao ser identificado, descobriu-se que ele não era pastor, mas se identificava assim na comunidade religiosa que frequentava. De acordo com as vítimas ele as convidava para o culto, oferecendo carona e, no carro, aproveitava para cometer os crimes. Ele negou tudo à polícia. Mesmo assim foi detido por praticar assédio sexual à menores de idade. Não houve caso de estupro registrado até o momento. A identidade das vítimas e da comunidade evangélica não foram divulgados para preservar a identidade das adolescentes.

Publicidade
Publicidade

Outros abusos envolvendo comunidades religiosas

Não é primeira vez que abusos são registrados envolvendo líderes religiosos. Recentemente um pastor abusou da enteada de 14 anos. De acordo com a vítima a violência ocorreu por 2 anos, sendo que toda a comunidade sabia, mas ninguém denunciava. Ele tinha uma estranha relação com a adolescente, sendo muito ciumento e possessivo.

Padre Fabio de Melo também fez uma declaração nas redes sociais afirmando que as mulheres se permitem ser agredidas e incentiva que todas denunciem seus agressores. O sacerdote, conhecido por lutar pelos direitos humanos, foi surpreendido com um bombardeio de críticas nas redes sociais.

Outras pessoas também têm denunciado outros tipos de delitos cometidos pelos pastores. Muitos tem se queixado nas redes sociais sobre o abuso de poder, onde eles tentam ludibriar as pessoas prometendo bençãos em troca de dinheiro.

Publicidade

Alguns cristãos tem feito campanha na internet para alertar as pessoas a não caírem em falácias de pregações que envolvem dinheiro. 

Outras acusações são recorrentes, como o tempo ocioso dos líderes religiosos, que não trabalham, e ao invés de cuidarem das comunidades acabam cometendo crimes e se comportando de modo inadequado perante as crenças que eles representam, dando péssimo testemunho como cristão. #Igreja #Religião #Crime