O pedido de abertura de um processo pelo crime de homicídio deve ser solicitado ainda nesta quinta-feira (7), conta o cunhado de Ana Hickmann, Gustavo Correa. A informação é do site Extra e o pedido será feito pelo promotor que atua no 2º Tribunal do Júri do Fórum Lafaiete, em Belo Horizonte, em Minas Gerais, Francisco de Assis Santiago.

De acordo com o entendimento da Polícia Civil de Minas Gerais, Gustavo agiu em legítima defesa ao atirar em Rodrigo Augusto de Pádua, de 30 anos, após ele tentar matar Ana Hickmann e atirar duas vezes contra ela, atingindo a esposa de Gustavo, Giovana Oliveira. A solicitação do promotor vai contra esse entendimento.

Publicidade
Publicidade

Depois de ouvir as testemunhas e um áudio feito pelo cabeleireiro, que ajudou a socorrer as vítimas, a polícia concluiu que Rodrigo Augusto de Pádua tinha intenção de matar a modelo e sugeriu que o inquérito fosse arquivado. Porém, caso o pedido do promotor Francisco de Assis Santiago, Gustavo Correa passa a ser réu.

Como ainda não foram notificados pela Justiça, os familiares de Ana Hickmann ainda não se pronunciaram. Quem vai cuidar de tudo é o advogado da família, Maurício Bemfica.

Ana Hickmann sofreu um atentado

No dia 21 de maio, Ana Hickmann foi para Belo Horizonte, em uma viagem rápida, para lançamento de roupas. Ela foi acompanhada do seu cunhado Gustavo Correa e da esposa dele e assessora da modelo, Giovana Oliveira.

Gustavo foi rendido por Rodrigo, quando estava no corredor do hotel.

Publicidade

Com uma arma apontada, foi obrigado a bater na porta do quarto de Ana Hickmann e os três foram mantidos lá por Rodrigo de Pádua.

Depois de falar e cobrar carinho da apresentadora, que não o conhecia, Rodrigo acabou atirando duas vezes. Um dos tiros atingiu Giovanna, que até hoje faz fisioterapia, para tentar se recuperar. Gustavo entrou em luta corporal com ele, para que as duas pudessem fugir do quarto. Durante a briga, dois tiros foram disparados e Rodrigo Augusto de Pádua faleceu.

A cunhada da modelo ficou internada, entre a vida e a morte, mas agora está em casa, se recuperando.  #Crime #Investigação Criminal #Casos de polícia