Uma denúncia grave. Foi isso o que o Senador José Medeiros, eleito pelo PSD de Mato Grosso, acabou fazendo em sua conta oficial no Twitter. A revelação já mexe com o meio político e envolve acusações contra dois grandes nomes, o do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da presidente afastada Dilma Rousseff. De acordo com ele, os representantes do Partido dos Trabalhadores teriam tentado "comprar" seu voto a favor da petista na votação que acontecerá no final de agosto (previsão) no Senado Federal. A revelação foi feita depois de um questionamento realizado por um internauta, que não perdeu tempo em perguntar qual era a posição do Senador durante o processo de impedimento e se José Medeiros tinha ou não vendido seu voto.

Publicidade
Publicidade

José anunciou que votará contra Rousseff, mas que recebeu estranhos convites para encontros com Lula e Dilma. No caso do ex-presidente, a reunião aconteceria no Hotel Tulip, em Brasília, local onde o ex-líder sindical continua hospedado. Já a presidente afastada quis que o Senador conversasse com ela na residência oficial do chefe de estado Brasileiro, local que ela ainda ocupa, o Palácio do Alvorada. Ali aconteceriam possíveis negociatas. Esse movimento do "Toma lá, Dá Cá" tem sido feito com diversos políticos, mas não adiantando muita coisa. De acordo com o site 'Diário do Poder, cerca de 60 Congressistas já teriam confirmado que votarão contra a presidente. O número mínimo necessário para a deposição de Dilma são 54 votos. 

O processo contra Rousseff começou ainda no ano passado, quando o então presidente da Câmara dos deputados, que renunciou ao cargo nessa semana, Eduardo Cunha, do PMDB do Rio de Janeiro, já ameaçava abrir o processo de impeachment contra Dilma.

Publicidade

As apostas em Brasília agora é para saber quem perderá o mandato primeiro, ele ou a presidente afasta. No entanto, ao que tudo indica, a ação contra o peemedebista já deve ocorrer na próxima semana, diferente do pleito conta a companheira do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, previsto para o período final dos jogos olímpicos.  #PT #Dilma Rousseff