A presidente afastada Dilma Rousseff anunciou nesse fim de semana que processará a revista Isto É por fazer uma reportagem que mostra como a filha dela, Paula, e sua família receberiam segurança do governo federal. A revista diz que os carros oficiais do governo e os agentes de segurança estariam agindo de maneira ilegal para dar mordomias para Paula. A publicação faz registros fotográficos que mostram a herdeira da presidente indo ao PetShop e até à uma clínica de estética. O repórter da revista, a Isto É e a Editora Três serão processados por conta das informações. 

Não é a primeira vez que Dilma processa a Isto É. Nesse ano, a mesma revista fez uma reportagem que trazia a representante do Partido dos Trabalhadores (PT) como frágil emocionalmente.

Publicidade
Publicidade

Na capa, Rousseff aparecia gritando, como se estivesse louca. Naquela ocasião, Dilma, que ainda não havia sido afastada, acusou a publicação de ter um preconceito de gênero, insinuando que só faziam aquele tipo de reportagem porque ela é uma mulher. 

A Revista não se pronunciou sobre o processo que terá que responder na Justiça. É muito comum grandes veículos brigarem judicialmente por conteúdos, mesmo até quando tem provas, como fotos, vídeos, áudios e entrevistas. Há processos na Justiça brasileira por um jornal ter dado aspas a um político, por exemplo. O caso mais absurdo recentemente foi o que envolveu um jornal que noticiou que juízes teriam benefícios altíssimos. 

O jornal apenas publicou informações que já eram conhecidas através de documentos oficiais, mas mesmo assim precisou responder a mais de trinta ações diferentes, que só tiveram fim após uma decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Publicidade

Até membros do Supremo Tribunal Federal (STF), como a Ministra Carmén Lúcia, chegaram a dizer que a manobra era estranha e feria a liberdade de imprensa. 

No Congresso, tramita um projeto de lei que pode dar ainda mais problemas para jornalistas. O projeto dá pena a quem expor pessoas acusadas ou condenadas em investigações da Polícia Federal  #Dilma Rousseff #Impeachment