O ex-presidente da Câmara dos deputados, Eduardo Cunha, eleito pelo #PMDB do Rio de Janeiro, já apareceu no noticiário diversas vezes por ter uma vida de luxo. Ele já realizou muitas viagens ao exterior e gosta de comer nos restaurantes mais caros com a esposa, a jornalista Cláudia Cruz. No entanto, pelo menos de acordo com os advogados dele, até o basicão pode ficar comprometido e Cunha pode passar fome ou pelo menos "necessidades alimentares", que dá no mesmo. Nesta quinta-feira, 21, por exemplo, a defesa de Cunha entrou na Justiça do Paraná e pediu que a conta-salário dele fosse desbloqueada com urgência. É por meio dela que o político recebe sua remuneração como deputado federal.

Publicidade
Publicidade

Até que a Comissão de Ética da Câmara julgue se ele deve ou não ser cassado, Cunha recebe o salário de parlamentar. 

De acordo com uma matéria publicada nesta sexta-feira, 22, pelo jornal 'O Globo', os advogados do peemedebista pedem urgência na resolução do caso, evitando assim que o cliente e seus familiares pareçam com dificuldades nos tempos de crise política e econômica por qual passa o Brasil. Pena que muitos outros brasileiros não tenham a sorte de receber um salário pomposo como o de Cunha, além de inúmeras regalias, como apartamento funcional. No texto, os advogados dizem claramente que não há verba para comprar comida e pedem que o Banco Central libere o dinheiro o mais rápido possível. Curiosamente, a conta do parlamentar não está bloqueada nem há dois meses.

Publicidade

Os bens dele foram bloqueados no dia 14 de junho. Desde então, ele estaria fazendo movimentações financeiras com dinheiro em espécie ou no nome da mulher, já que cartões também são bloqueados. 

Os advogados dizem ainda que o bloqueio da conta salário não é previsto em lei e que deixar Cunha sem o salário é um equívoco. Não há informações se Cunha teria ou não o dinheiro de volta. A mulher dele, Cláudia Cruz, também teve alguns dos bens bloqueados, o que complicaria a vida financeira do casal. Pelo visto, os dois vão ter que evitar os restaurantes caros.  #Eduardo Cunha