Virou Meme. O deputado federal Eduardo Cunha, do PMDB carioca, virou o assunto mais comentado da internet brasileira após chorar ao vivo durante um pronunciamento. Ao ler uma carta a jornalistas de todo o Brasil, o parlamentar avisou que estava renunciando ao cargo de presidente da Câmara dos deputados. Ele já estava afastado da função desde o mês passado, quando o Supremo Tribunal Federal (STF) protocolou a decisão argumentando que Cunha poderia atrapalhar investigações contra ele, a esposa (jornalista Cláudia Cruz) e a filha. O político e a família são alvos da Operação Lava-Jato, conduzida pelo juiz federal Sérgio Moro. 

O momento do choro aconteceu justamente quando #Eduardo Cunha falava da família.

Publicidade
Publicidade

Não demorou muito para que ele virasse piada. "Após choro, deputado pode ser o primeiro brasileiro a vencer o Oscar", disseram alguns internautas que fizeram várias montagens. Os memes foram além e mostraram até uma bonequinha chorando ao olhar para o parlamentar, tido no passado como um dos homens mais fortes do governo. De acordo com o peemedebista, sua renúncia visa aumentar a estabilidade do parlamento. Ele disse que começou a ser perseguido assim que decidiu abrir o protocolo do impeachment contra a presidente afastada Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT).

A nova eleição que escolherá o presidente novo da Câmara dos deputados já deve ocorrer na semana que vem. Quem sai perdendo com a notícia é o deputado Waldir Maranhão, que estava interinamente no cargo e não agradava muito os colegas.

Publicidade

Maranhão não comentou ainda a saída do colega. O choro de Eduardo Cunha contrastou com os sorrisos que ele deu antes da coletiva começar. Ele demorou pelo menos cinco minutos antes de começar a ler sua carta de despedida. Apesar de renunciar à presidência da Câmara, Cunha continua com o mandato de deputado federal.

A renúncia ocorreu justamente para que ele evite perder o mandato e possa também proteger a família da Lava-Jato. No entanto, especialistas garantem que isso é improvável.  #É Manchete!