O ex-senador do PT, Eduardo Suplicy, foi detido na manhã desta segunda-feira (25) porque tentou impedir a reintegração de posse. O movimento começou ainda de madrugada e seguiu por toda manhã no bairro Jardim Raposo Tavares, na cidade de São Paulo. A imagem em que aparece Eduardo Suplicy sendo carregado pelas pernas e braços, por policiais, está circulando nas redes sociais e causando grande polêmica.

As pessoas estão divididas, sendo que há aqueles defendendo a atitude da polícia e que o ex-senador deve ser tratado como qualquer outra pessoa que tente impedir o cumprimento da Justiça, mas muitos acham que tal atitude foi completamente desnecessária.

Publicidade
Publicidade

Suplicy chegou a sentar-se no meio da rua e não quis sair de forma alguma. Os policiais pediram, por diversas vezes, mas ele recusou-se a abandonar sua posição e, por isso, acabou sendo carregado por quatro policiais, sendo levado em seguida para o 75º DP. Detido por obstrução de Justiça e desobediência, o ex-senador acabou tornando-se um dos assuntos mais comentados no Twitter neste início de tarde.

Os moradores do local estavam realizando uma manifestação para impedir a reintegração de posse. São mais de 350 famílias morando no Jardim Raposo Tavares, em um terreno que pertence à prefeitura e alegaram não ter para onde ir, mas não houve negociação, a polícia chegou de madrugada já para retirar todos dali

Sem ter um lugar para ir, os moradores fizeram de tudo para impedir a desapropriação e até contaram com o apoio de Suplicy, mas nem isso adiantou.

Publicidade

Algumas pessoas chegaram a colocar fogo em objetos espalhados pelas ruas no intuito de impedir a ação da polícia e até um ônibus chegou a ser incendiado. As barricadas atrapalharam, mas não impediram que a Polícia Militar cumprisse a ordem. Algumas bombas de gás lacrimogêneo foram lançadas e, assim, o grupo acabou sendo disperso.

No Twitter, os comentários são os mais variados possíveis, não faltando aqueles que fazem piada com o acontecido, mas claro que tinha os que foram a favor e os contra, ao ato de Eduardo Suplicy, de querer defender aquelas famílias.

#Crime #Violência #Casos de polícia