Nesta terça-feira, 12, começaram a circular fotos e vídeos que mostram a gravação de um filme pornô na praia do Recreio, no Rio de Janeiro. Não é possível dizer ao certo quando foram realizadas as gravações. No entanto, o que espanta é que tudo foi feito bem perto da calçada. Dá até para ver alguns quiosques perto do casal que está em plena ação. Os vídeos e imagens com a gravação polêmica estão sendo divulgadas no Facebook e no WhatsApp. A gravação teria ocorrido na altora do Posto 10. Muitos cariocas ficaram revoltados com o fato da produção estar repercutindo faltando poucos dias para começar os jogos olímpicos. 

"Nossa, essa é uma propaganda que nenhuma cidade deveria gostar de ter, de atrair curiosos para realizar cenas quentes.

Publicidade
Publicidade

Isso favorece o turismo sexual e em nada contribui para os moradores daqui", disse um morador que compartilhou uma das imagens em tom de revolta. O trecho onde as imagens foram feitas é conhecido por ter muitas residências e ser tranquilo. Lembramos que fazer sexo em público no Brasil é considerado atentado ao puder. O mesmo vale para sair andando pelado por aí sem nenhum tipo de autorização especial. 

Uma das coisas que todos tem curiosidade de saber é que horas foi realizado o vídeo. O casal tenta se esconder atrás de uma das árvores e fica deitado na areia. O vídeo mostra o ato sexual em si, exibindo que os atores contratados não tem a menor vergonha ou receio de estarem exercendo o seu "trabalho". Além da dupla que não usa nenhuma roupa, um cinegrafista registra tudo e ainda dá ordens para o casal.

Publicidade

"Pega aqui, ali", diz ele parecendo bem empolgado com o resultado do filme.

As imagens que foram parar nas redes sociais teriam sido gravadas por uma morador, que com seu celular registra tudo sem ser identificado. O trio, que tenta se esconder na areia, parece não se incomodar com o homem curioso. Produções como essa são até comuns, mas geralmente são feitas em locais afastados e em horários em que não há ninguém na rua. Esse caso em si chamou a atenção pelo excesso de desembaraço.  #Crime #Investigação Criminal