Um agrupamento de radicais extremistas do Brasil publicou um vídeo em que declara apoio incondicional ao grupo terrorista do #Estado Islâmico.  A gravação, divulgada em um canal intitulado “Ansar al-Khilafah Brazil", pelo aplicativo Telegram e pelo Youtube, conclama seguidores do califado a realizar ataques no país. De acordo com uma das mensagens do grupo, “se a polícia francesa não foi capaz de evitar ataques dentro de seu próprio território, o treinamento passado aos policiais brasileiros não servirá de nada”.

Segundo informações do SITE Intel Group, que monitora as atividades do grupo na internet, essa é a primeira vez que extremistas da América do Sul declaram apoio ao grupo de terroristas do Estado Islâmico.

Publicidade
Publicidade

O anunciou deixou as equipes de inteligência e segurança do Brasil em alerta máximo, faltando poucos dias para o início das Olimpíadas 2016 no Rio de Janeiro.

Equipes de inteligência do governo francês já teriam alertado as autoridades do país sobre o plano do grupo extremista de praticar ataques contra a delegação de atletas franceses nos Jogos Olímpicos. O ataque seria liderado por um brasileiro, membro do Estado Islâmico. O próprio governo do Brasil já admitiu que essa é uma preocupação constante da Agência Brasileira de Inteligência (Abin). A cerimônia de abertura dos jogos deve contar com a presença de aproximadamente 100 chefes de estado, entre presidentes e primeiros ministros de vários países ao redor do mundo.

Publicidade

Estado Islâmico no Brasil

O Estado Islâmico tem aproveitado a proximidade das Olimpíadas 2016 do Rio de Janeiro para disseminar sua ideologia por meio de canais traduzidos para o português. A ideia do grupo seria recrutar os chamados “lobos solitários” para realizar ataques terroristas no Brasil.

Recentemente, o Centro Integrado Antiterrorismo, com sede em Brasília, divulgou a informação de que quatro pessoas ligadas a grupos terroristas tentaram obter credenciais de imprensa para participarem das Olimpíadas do Rio 2016. Todas elas tiveram seus pedidos negados e estão em monitoramento permanente dos grupos de inteligência.

#Terrorismo #Rio2016