Nos últimos doze meses o valor do feijão carioca subiu mais de 58%, sendo vendido, em média, a R$ 10 o quilo. Com o preço nas alturas, o tradicional alimento da mesa dos brasileiros se tornou alvo de bandidos. É assustador o nível de ousadia dos ladrões, mas é desta forma mesmo que eles estão agindo: roubam o produto ainda no pé ou nas cargas dos caminhões. Até as máquinas agrícolas eles estão levando. Somente na última semana foram roubadas 230 sacas do grão de uma fazenda em Alfenas, Minas Gerais. O prejuízo foi de R$ 110 mil reais para o produtor. Outras mil sacas foram roubadas no oeste da Bahia.

O roubo das 230 sacas em uma fazenda de Alfenas (MG) foi registrado na madrugada da última sexta-feira (1º).

Publicidade
Publicidade

De acordo com informações da Polícia Militar (PM), a ação aconteceu quando dois funcionários saíam da propriedade com um caminhão carregado de feijão. Neste momento quatro homens armados abordaram os empregados, mantendo-os reféns por pelo menos três horas, tempo que os criminosos levaram para transferir a carga de um caminhão para outro. Este foi o segundo roubo registrado no Sul de Minas. Em São Gonçalo do Sapucaí (MG), os ladrões furtaram o produto ainda no pé. Tanta ousadia para levar 80 quilos de feijão. Cerca de 20 quilos foram recuperados.

Outro caso ocorreu na madrugada de sábado, quando cinco homens armados invadiram uma fazenda, localizada no anel da soja, em Barreiras, Bahia, renderam um funcionário e sua mulher e roubaram além das sacas do feijão fradinho, carro, TV, dinheiro e equipamentos agrícolas.

Publicidade

De acordo com a Polícia Militar da Bahia, os bandidos usaram três caminhões para transportar o produto roubado. Quando o proprietário percebeu a invasão acionou uma guarnição da Companhia Independente de Policiamento Especializado (CIPE Cerrado)  para registrar a ocorrência.

Polícia recupera parte da carga de feijão avaliada em R$ 110 mil

Por meio de denúncia anônima, a Polícia Militar conseguiu recuperar parte da carga de feijão roubada em Alfenas. Das 230 sacas, a PM encontrou 198 que estavam na casa de um homem, de 29 anos, na Comunidade do Itapiché, zona rural de Campos Gerais. Outra parte da carga, 74 sacas, foi vendida no valor total de R$ 35 mil para um comerciante de Três Pontas (MG), que confirmou a compra. A PM apreendeu o produto. Até o momento, ninguém foi preso. Devido à onda de roubos, lavradores estão contratando vigias para as lavouras, o que acarreta mais gastos na produção. #Crime