Um fiel controverso virou notícia na cidade de Bauru, em São Paulo. Ele que parecia mais um apaixonado por Jesus Cristo, na verdade, guardada um plano secreto. Ele estaria a fingir todo o apreço na Catedral do Divido Espírito Santo, como mostra uma reportagem publicada nesta quinta-feira, 21, pelo G1, um dia depois do homem ser preso. Pois é, o "castigo" surpreendente veio à galope. Isso porque o homem decidiu furtar o dinheiro que era doado por fieis de verdade. O que ele não esperava é que uma câmera flagrasse toda a situação. Um padre ouvido pelo portal de notícias garante que o prejuízo nos cofres da igreja foi grande, quase R$ 2 mil.

De acordo com membros da igreja, as imagens exibem o homem em cena.

Publicidade
Publicidade

Ele entra em ação e devagar entra sem que ninguém o perceba, a não ser a câmera. Em seguida, pega todo o dinheiro que encontra e coloca em seus bolsos. O fiel ainda pode ter o perdão de Deus pelos seus pecados, mas por enquanto o problema dele é com a justiça dos homens. Não seria a primeira vez que ele roubava a igreja. Foi exatamente no local do culto que ele foi detido por policiais civis. Na delegacia, não teve jeito. Com as evidentes imagens, ele teve que confessar que de fiel pouco tinha, na verdade o que ele era é um ladrão .

No momento da prisão, o homem estava portando supostos bens da igreja. Ele estaria com R$ 455. No entanto, não é possível dizer com 100% de certeza se aquele era o dinheiro roubado e mostrado nas imagens. Não houve flagrante e o fiel diferente acabou sendo solto.

Publicidade

Basta saber agora se ele será ou não aceito de novo na igreja. 

Quem conversou com o G1 foi o padre da igreja, chamado Marcos Pavan. Ele não disse o nome do pecador, mas informou que ele tinha 56 anos e que ia às missas todos os dias no mesmo horário. Durante os cultos, ele comungava e até rezava o terço, o que fazia com que ninguém desconfiasse dele. Bastava o movimento da igreja diminuir, no entanto, para ele entrar na sala onde fica o cofre  da instituição e arrombar o cadeado.  #Crime #Investigação Criminal