Nesta semana, começou a circular na internet um vídeo que mostra uma sessão do Senado registrada no dia 07 de julho. Nele, a Senadora Gleisi Hoffmann, eleita pelo Partido dos Trabalhadores (PT) do Paraná, fala sobre a austeridade da economia e cita o colega Cristovam Buarque, do PPS do Distrito Federal. A petista argumenta que os avanços que foram tidos nos últimos anos não conseguiriam ser mantidos com as mudanças na economia, como na taxa de juros. Cristovam critica a fala da colega, dizendo que ele não fez qualquer alerta. "Eu fiz alerta sim, mas talvez vocês me achassem pessimistas demais", diz ele.

Em seguida, ele detona o que o #PT fez, provocando desperdício.

Publicidade
Publicidade

Ele cita as obras faraônicas aprovadas nas gestões do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da presidente afastada Dilma Rousseff. Ele diz que os governos correram demais em aprovar coisas como a Copa do Mundo e a Olimpíada. Cristovam Buarque ainda critica os próprios colegas, que aprovaram recentemente aumento para eles. Para o Congressista, os governos promoveram mudanças rápidas, mas que isso só é bom a curto prazo. "A gente pode deixar de crescer um pouco e investir em áreas mais importantes, como o da educação. Hoje a gente estaria mais robusto, um país mais sólido", argumenta ele em seu discurso.

O político ainda cita o papel dos bancos, comparando eles com o #Governo brasileiro. "Se você compra um carro no banco e não paga, eles vão lá e tiram o seu carro", diz ele. O país, segundo ele, aconteceria a mesma coisa.

Publicidade

Ele cita então que os bancos, quando não pagos, tomam medidas de investir em outros países, prejudicando assim as grandes empresas e atingindo também os brasileiros. Para ele, o governo acabou incentivando que os brasileiros se endividassem. Cristovam ainda lembra da mudança feita na taxa de juros por Dilma, mas que isso ocorreu por conta da realidade.

Veja abaixo o vídeo que mostra o discurso da petista e a resposta à altura que ela recebeu. E aí, o que achou da fala dela e do colega, que não parecia muito satisfeito com os argumentos da Senadora? Comente.