A edição de número 30 do 'Criança Esperança' foi marcada por grandes críticas nas redes sociais. Durante a maratona que pede doações para projetos que beneficiam crianças carentes, a Rede Globo de Televisão exibiu o "Mapa da Esperança", que trazia uma espécie de disputa entre os estados que doavam mais ou menos. O mesmo era feito com regiões. Em determinado momento, o estado de Pernambuco, com população superior a 9,2 milhões de pessoas, superou as doações efetuadas por moradores do Distrito Federal, onde moram, de acordo com o IBGE, 2,8 milhões de pessoas. 

Apesar da diferença grande populacional, os apresentadores comemoravam o suposto fato de Pernambuco, mesmo sendo mais pobre, estar doando mais do que o Distrito Federal.

Publicidade
Publicidade

A situação foi criticada na internet por promover preconceitos regionais. "As pessoas não doam porque não levam muita fé, mas acho errado esse mapa que faz um estado querer ser melhor ou pior do que os outros", disse um internauta. Talvez percebendo as críticas, a Globo através de seus apresentadores, começou a lembrar o tempo todo que existem diferenças econômicas e populacionais entre as regiões e que aquele mapa era apenas um "estímulo'. 

A atriz Dira Paes, por exemplo, chegou a pegar o telefone ao vivo. Ela, que é contratada da emissora e não está desempregada, ligou para a central de atendimento do 'Criança Esperança'. Dira disse que doaria R$ 40 porque não era "pão-dura". No momento em que ocorria a manifestação da atriz, o programa ainda não tinha atingido R$ 9 milhões em doações. Telespectadores, que não paravam de criticar a atração, lembraram que a maioria dos artistas ali presentes tinha uma boa condição de vida e que se pagassem um dia de seus salários as doações estariam nas alturas. 

Outros também enfatizaram o fato de hoje o Brasil ter mais de 11 milhões de desempregados, o que dificultaria o número de doações.

Publicidade

Na contramão do 'Criança Esperança', o 'Teleton', mesmo sendo exibido por um canal de menor audiência, o SBT, costuma ter maior receptividade do público.  #É Manchete!