A concessão de bolsas para a graduação, grande chamariz do programa Ciências sem fronteiras durante o governo Dilma,  deixará de ser oferecida de forma definitiva. O segmento de graduação era o foco principal do programa e foi responsável por cerca de 79% de todos os benefícios concedidos.

Em anúncio, o ministro da #Educação, Mendonça Filho (DEM), enfatiza que a decisão não significa o fim do programa e que ainda haverá o benefício para a pós-graduação. No entanto, os estudantes de pós-graduação, em especial os que buscam uma vaga de doutorado pleno no exterior, já encontram dificuldades em virtude de cortes na verba orçamentária desse ano.

Publicidade
Publicidade

O governo federal tem feito cortes na verba dedicada à internacionalização acadêmica e às bolsas no exterior, o que impactou os potenciais doutores. Na última seleção de doutorado pleno realizada pelo CNPQ, as propostas dos alunos não foram, sequer, objeto de análise. Esses alunos pleitearam o aceite do orientador no exterior, enviaram projetos, se inscreveram e fizeram provas para serem aprovados em universidades do exterior, mas não tiveram seu pedido de bolsa julgado pelo CNPQ.

O anúncio do fim de bolsas para a graduação vem junto da proposta de reformulação do programa . O governo, no entanto, não conta com a liberação de orçamento para essa nova fórmula. No projeto, o governo planeja conceder bolsas no exterior para alunos de baixa renda do ensino médio que estudem em instituições públicas.

Publicidade

A nova proposta  irá fornecer apenas cursos de idiomas aos alunos e não tem como prioridade a formação acadêmico científica ou a internacionalização em pesquisa.

A ação representa uma descaracterização dos objetivos e metas do programa que visava a consolidação de áreas científicas ligadas às exatas, biológicas e áreas da saúde no cenário internacional. O principal objetivo segundo site do programa era ''permitir a mobilidade de estudantes brasileiros para os países conveniados ao projeto, oferecendo bolsas para alunos de graduação e doutorado e interessados em fazer doutorado que queiram aperfeiçoar seus conhecimentos no exterior''.

Em julho do ano passado, o site do programa do CsF anunciou que todas as chamadas estavam suspensas. Após críticas, o programa voltou atrás na mensagem, mas a última chamada de doutorado pleno não teve, realmente, nenhum dos pedidos avaliados. #Crise no Brasil #Recessão no Brasil