Um #Crime está sendo investigado em Rôndonia. Aparentemente, a ação foi mais um ato de intolerância religiosa. De acordo com o portal de notícias G1 em reportagem publicada nesta quarta-feira, 12, um homem de 35 anos acabou sendo detido na cidade de Cacoal. Ele decidiu interromper um culto de umbanda. Não muito feliz com a atração religiosa, ele chutou uma vasilha de pipoca. A oferenda estava sendo entregue em uma mata da região. A Polícia Militar comentou a atitude, dizendo que na hora do acontecimento quem levava a oferenda era um adolescente. 

O rapaz ficou ferido após ter a vasilha chutada es está com hematomas no corpo.

Publicidade
Publicidade

O homem parecendo fora de si chegou a ameaçar os fiéis com um enorme pedaço de madeira. O utensílio foi utilizado para colocar fogo na vegetação do local, podendo até causar algo mais grave. Não é a primeira vez  que atos de intolerância religiosa acontecem no Brasil. No ano passado, uma menina chegou a levar uma pedrada de evangélicos, quando passou caraterizada com roupas de umbanda pelas ruas do estado do Rio de Janeiro. 

O responsável pelo terreiro, Cesar Torres, comentou com o portal de notícias que tudo começou quando pediu que o grupo fosse agradecer aos orixás. Nesse ato de agradecimento, o homem apareceu e decidiu tentar atrapalhar a cerimônia religiosa de raiz africana. Após isso, uma discussão com os religiosos e o homem começou. 

O responsável pelo terreiro lembra que a lei deixa que as cerimônias possam ser feitas na rua.

Publicidade

Segundo ele, o homem levado para a delegacia, também teria ameaçado uma mulher. O fogo teria sido colocado na mata para tentar destruir as oferendas. A Polícia foi chamada e os envolvidos tiveram que explicar tudo o que aconteceu. O homem confessou o crime e disse que não concordava com a "macumba" na frente da casa dele. Ele informou que ficou muito irritado.

Apesar de confirmar que chutou a oferenda, o homem nega que tenha agredido qualquer um dos integrantes com o pedaço de madeira. E aí, o que dizer da atuação dessa pessoa?  #Investigação Criminal