Nesse fim de semana, um caso chamou a atenção dos cariocas. Uma dona de casa de 46 anos, identificada como Christiane Souza Andrade, foi assassinada em frente à filha, de sete anos. Ela levou uma facada no pescoço. A menina, desesperadamente, até tentou socorrê-la, mas em vão. A morte foi na quinta-feira, 14, mas o vídeo com o desespero da menina toda ensanguentada foi parar na internet um dia depois. O motivo do #Crime seria porque a dona de casa não teria dinheiro para dar ao assaltante. A suspeita é de que o esfaqueador seja Rojelson Santos Baptista, de 36 anos

Moradores da região onde o crime aconteceu, no Rio de Janeiro, teriam identificado o criminoso neste sábado, 17.

Publicidade
Publicidade

Ele foi severamente espancado por populares, que só pararam quando a família da vítima solicitou. O homem seria um pedreiro da região e talvez tenha até prestado serviços na casa da mulher morta. Depois de apanhar muito, o suposto criminosos precisou ser socorrido. Ele foi levado para o Hospital Municipal Souza Aguiar. O homem teria confirmado durante a prisão que ele cometeu o crime, mas o caso ainda é investigado pela Divisão de Homicídios. 

A mulher levou duas facadas no pescoço. Ela chegou a ser socorrida por um taxista, mas morreu a caminho do hospital. Os jornais do Rio de Janeiro chegaram a estampar suas capas com a menina toda ensanguentada.  De acordo com informações do jornal Extra, a prisão preventiva de 30 dias para o suspeito foi decretada. Com isso, ele não poderá deixar a cadeia. 

Amigos da vítima encontraram o homem durante uma investigação paralela.

Publicidade

Foi criado um grupo no WhatsApp para achar o suspeito. A menina de 7 anos que sobreviveu teria dado as características do assaltante e até o nome dele, mostrando mais uma vez que o criminoso seria um velho conhecido de todos. Os familiares explicaram que estava muito indignados e que não conseguiam esperar o tempo do estado em resolver as coisas. É preciso lembrar que ações como essa são perigosas e que espancar supostos criminosos também é crime.  #Investigação Criminal