Boa notícia para quem está aguardando a restituição do imposto de renda 2016 e para aqueles que caíram na malha fina durante os anos de 2008 a 2015, foi liberado, pela Receita Federal, nesta sexta-feira (08) as consultas ao segundo lote de restituições. Serão pagas restituições referentes ao ano de 2016 e aquelas dos contribuintes que caíram na malha fina nos últimos 8 anos.  

O valor cairá na conta dos contribuintes no próximo dia 15 de julho. Serão pagos um total de R$ 2,5 bilhões de reais, para 1.490.266 contribuintes. Quem quiser saber se a restituição vem nesse lote, basta o contribuinte acessar a página: http://www.receita.fazenda.gov.br/Aplicacoes/Atrjo/ConsRest/Atual.app/paginas/index.asp, e fazer a consulta.

Publicidade
Publicidade

Outra opção é através dos aplicativos disponíveis para smartphones e tablets, onde é possível consultar as declarações ao IRPF e ainda verificar a situação cadastral no CPF, em uma base de dados direta da Receita Federal.

Pagamentos

A Receita libera sete lotes de restituições todo ano, entre os meses de junho e dezembro, geralmente são pagos, primeiramente os contribuintes idosos, os que possuem alguma doença grave e os deficientes físicos e mentais. Após essas prioridades, o pagamento é feito pela ordem em que as declarações são entregues, desde que não tenha erros, nem omissões de dados.  

Neste ano de 2016, foram recebidas pela Receita Federal, dentro do prazo que era 30 de abril, as declarações de quase 28 milhões de contribuintes do #Imposto de Renda. O valor da restituição é corrigido de acordo com a variação de juros da economia no Brasil, hoje esse valor é de 14,25% ao ano.  

Malha fina

No final do mês de abril, de acordo com a Receita, mais de 700 mil declarações já se encontravam retidas na malha fina por conter incoerências nos dados fornecidos.

Publicidade

Os principais motivos que levaram contribuintes a cair na malha fina nos anos passados foi o fato de omitir rendimentos e declaração de despesas médicas inconsistentes. 

O bom é que é possível fazer a correção dessas inconsistências através de uma declaração retificante. O contribuinte pode verificar sua situação na malha fina acessando o Centro Virtual de Atendimento- e-CAC- no site da Receita e examinando o extrato do IR. É necessário ter em mãos o código de acesso gerado na página da Receita ou o certificado digital emitido por autoridade habilitada. Após resolver a situação pendente a pessoa sai da malha fina e se tiver direito à restituição, o valor virá nos próximos lotes.  #Governo