Como se não bastasse a exploração que já existe sobre os trabalhadores, o presidente da Confederação Nacional da Industria, Robson Braga de Andrade, sugeriu nessa sexta-feira (8), o aumento da jornada de #Trabalho de 44 para 80 horas semanais.

Após reunião com o presidente interino Michel Temer e empresários do Comitê de Líderes da Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI), Robson Braga de Andrade fez a sugestão de que o Brasil adote medidas parecidas com as adotadas pelo governo francês, que autorizou uma carga horária de até 80 horas semanais e 12 horas diárias na jornada de trabalho.

Segundo Andrade, é necessário tomar “medidas duras” para que o governo reduza o rombo nas contas públicas, mas cá entre nós, tomar medidas como essa é fazer um enorme retrocesso na história.

Publicidade
Publicidade

No entanto, o aumento na jornada de trabalho não foi a única mudança defendida pelo presidente da CNI, mas também mudanças na Previdência Social.

Reforma das leis trabalhistas

As reformas das leis trabalhistas visando o aumento da jornada de trabalho foram muito defendidas por Andrade, mas sempre comparando o Brasil com a França.

“No Brasil, temos 44 horas de trabalho semanais e as centrais sindicais tentam passar esse número para 40. A França, que tem 36, passou para a possibilidade de até 80 horas de trabalho semanais e até 12 horas diárias de trabalho”, disse.

Porém, o senhor empresário se esqueceu de que o Brasil não é a França e que o país tem problemas diferentes, que são situações diferentes, como ele mesmo citou ao falar da França: "A razão disso é muito simples. A França perdeu a competitividade de sua indústria com relação aos demais países da Europa.

Publicidade

Agora, está revertendo e revendo suas medidas para criar competitividade". A razão pela qual a França autorizou tal medida, não se aplica ao Brasil.

Mesmo que seja necessário tomar certas medidas duras, que essas medidas não interfiram no que foi conquistado pelos trabalhadores. É preciso mudar essa situação, pois, é só as coisas apertarem para chegar a classe mais favorecida e então jogar no lixo todas as lutas e conquistas realizadas pela classe trabalhadora, desde o século XIX? Galopando nas costas Do pobre, é fácil "reerguer" o país. #Legislação