A ex-primeira-dama do Brasil, Marisa Letícia #Lula da Silva, não está gostando nada de não poder usar um tríplex, no Guarujá, litoral de São Paulo. De acordo com uma nota publicada nesta terça-feira, 26, pelo jornal 'O Estado de São Paulo', a mulher do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ajuizou ação na 34.ª Vara Cível do Foro Central de São Paulo. O processo é contra a empreiteira OAB e também contra a Bancoop, a Cooperativa Habitacional dos Bancários. Segundo o jornal de São Paulo, Marisa Letícia cobra cerca de R$ 301 mil pela restituição da cota do polêmica compra do apartamento 141. 

A notícia vem à nota depois do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva negar que fosse proprietário do local.

Publicidade
Publicidade

No entanto, o Ministério Público do Estado de São Paulo dizia ter evidências que houve sim uma tentativa de compra. Por conta de todas as polêmicas, a família Lula nunca conseguiu ficar no atual Condomínio Solaris, nem desfrutar do paradisíaco local. O Ministério Público ainda investiga se o ex-presidente teria recebido algum benefício da empreiteira por conta de ajuda política em obras realizadas pelo #Governo federal. A entidade chegou a solicitar à Justiça Federal em março deste ano que o representante do Partido dos Trabalhadores (PT) fosse preso. No entanto, o ex-líder sindical, como sabemos, ainda continua solto. Na época, ele chegou a tentar assumir o Ministério da Casa Civil, tendo então o foro privilegiada e podendo apenas ser preso por decisão do Supremo. 

Além do processo referente ao condomínio com o Tríplex no Guarujá, Lula é investigado na Operação Lava Jato.

Publicidade

Ele agora está nas mãos do juiz federal Sérgio Moro, que tem em suas mãos áudios interceptados do petista. O Ministério Público do Distrito Federal chegou a dizer que Lula tentou atrapalhar as investigações da Lava Jato. A mesma opinião teve o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, que chegou a solicitar que o Supremo Tribunal Federal (STF) abrisse um processo contra o ex-líder sindical para avaliar o possível crime.