A Agência de Transportes de São Paulo anunciou que termina na próxima quinta-feira, dia 7 de julho, o prazo para adaptação à nova legislação que obriga a utilização de farol baixo ao longo de todo o dia nas rodovias. A informação foi divulgada nesta terça na página do jornal ABCD Maior. 

De acordo com o código nacional de trânsito, por meio da lei 13290, publicada no último mês de maio, foram concedidos mais de 40 dias para que os motoristas pudessem se adaptar às mudanças. Na Grande São Paulo, segundo a agência estadual, a fiscalização será ampliada nas rodovias que ligam a região ao interior e ao litoral. 

Nos municípios que foram a região do Grande ABC, por exemplo, haverá blitz na Imigrantes, Anchieta e trechos do Rodoanel (Leste e Sul). 

As empresas detentoras das concessões e que administram as estradas já estão alertando os motoristas há semanas.

Publicidade
Publicidade

Segundo a Agência de Transportes de SP, quem não estiver com o farol baixo aceso a partir da próxima semana sofrerá com as penalidades impostas pela nova lei. A multa foi fixada em R$ 85,13 e inclui ainda a perda de quatro pontos na habilitação. 

Não há qualquer mudança na rotina dos motociclistas, visto que essa lei já era válida para os mesmos. 

Segurança

De acordo com a gerência de sinalização da agência estadual, o objetivo de exigir faróis baixos durante o dia é ajudar a diminuir o número de colisões e acidente. "Espera-se que a população entenda isso como uma garantir a mais de segurança em sua viagem", explica Carlos C. Campos, gestor da Artesp.

"É sabido que as leis contribuem para a segurança de pedestres e motoristas. Ela aumenta a visibilidade dos automóveis, ônibus e caminhões quando se deslocam pela estrada.

Publicidade

Ficando mais visíveis, será mais fácil enxergá-los", esclarece.

Pedágios

Recentemente, os valores dos pedágios em todas as rodovias paulistas foi reajustado em quase 10%, conforme decretado assinado pelo governador em respeito aos contratos estabelecidos com as concessionárias que prevê o aumento nas tarifas ao menos uma vez por ano.  #Grande ABC