Há quase um ano o Ministro Ricardo Lewandowsi chegava em um aeroporto de Brasília e recebia grande quantidade de hostilização. O vídeo gravado em agosto do ano passado voltou a repercutir nesse fim de semana através de blogs políticos. Tudo por conta de explicações que o juiz federal Sérgio Moro precisou dar ao Supremo Tribunal Federal no processo contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Moro precisou se explicar porque interceptou o telefone do petista e acabou flagrando ele em uma conversa com conteúdo duvidoso com a presidente afastada Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT).

O vídeo, no entanto, mostra a manifestação de servidores judiciários e não um ato político em si.

Publicidade
Publicidade

Naquela ocasião, os servidores tentavam um aumento, mas houve um posicionamento em acordo do Ministério do Planejamento e o Supremo. Com isso, o aumento da categoria seria perdido. Como o Supremo não havia dado nenhuma medida contra a ação do #Governo da então presidente Dilma, os Servidores ficaram revoltados. Nos bastidores, Lewandowski é acusado de ser favorável demais à Dilma e isso sempre fez com que ele recebesse críticas. O juiz, no entanto, sempre negou qualquer conluio com a petista.

"O traidor chegou", gritam os manifestantes no vídeo. Uma mulher chega a dizer que o Ministro não quis passar pelo local porque ficou com medo dos funcionários que prestam serviços para ele mesmo e que estavam irritados com a falta de posicionamento. 

Recentemente, outra medida vinculada ao Ministro deu o que falar.

Publicidade

O setor de segurança do STF solicitou à Polícia Federal que descobrisse quem eram os responsáveis por bonecos infláveis de Lewandowski e do Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, chamado de corruptos e aliados do Partido dos Trabalhadores (PT) em grandes manifestações realizadas em São Paulo.  

Outro caso recente foi o de uma mulher em um restaurante. Ela parou o Ministro e deu parabéns por ele ter dado aumento para ele mesmo. 

Veja abaixo o vídeo do ano passado que voltou a repercutir nesse final de semana:

#Justiça