Na semana anterior, a atriz Luiza Brunet, 54 anos, veio a público contar que foi agredida pelo ex-companheiro, o empresário Lírio Albino Parisotto, de 62 anos. Segundo ela, ele deu um soco em seu olho, a chutou e a segurou, chegando a fraturar quatro costelas da modelo. O caso está sendo investigado em São Paulo. Ele nega as acusações.

Luiza contou que sempre foi discreta com sua vida pessoal, mas que resolveu expor o caso para encorajar outras vítimas a denunciarem e não se calarem. “Fui vítima de uma agressão covarde”, disse em nota, segundo informações do Jornal Nacional. Lírio Albino Parisotto emitiu nota em que nega a agressão.

Publicidade
Publicidade

Segundo ele, nunca agrediria ninguém e que “apenas se defendeu” de tapas, chutes, mordidas, unhadas.

Assim que chegou ao Brasil, após a agressão que aconteceu nos Estados Unidos, Luiza Brunet realizou exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML). Ela também procurou o Grupo de Atuação Especial de Enfrentamento à Violência Doméstica (GEVID) e registrou queixa.

Na terça-feira (28), a Justiça decretou as medidas protetivas. O empresário está proibido de entrar em contato com a modelo por qualquer forma e de se aproximar dela.  O processo está em segredo de Justiça.

Quando o caso aconteceu, os dois ainda tinham um relacionamento e ela estava nos Estados Unidos para acompanhá-lo em um evento. Depois disso, ela se separou do empresário. O caso está sendo investigado em São Paulo, pela Promotoria da Vara da Violência Doméstica do Ministério Público (MP).

Publicidade

A agressão teria ocorrido após o evento

Segundo o relato de Luiza Brunet publicado na coluna do jornalista Ancelmo Gois, de "O Globo", o casal jantou com amigos em um restaurante em Nova York. De lá, os dois foram para o apartamento dele. Quando ela entrou, ele deu um soco no rosto dela, a chutou e a jogou no sofá. Depois disso, a imobilizou e chegou a quebrar quatro costelas dela.

Luiza conseguiu fugir e se trancar no quarto, de onde só saiu para ir para o aeroporto e voltar para o Brasil. #Crime #Casos de polícia