Ana Carolina Oliveira, de 32 anos, fala em "recomeço" e tenta dar um novo rumo à sua vida depois da morte de sua filha em março de 2008. A menina em questão é Isabella Nardoni, que teria sido jogada do Edifício London, em São Paulo, em uma ação orquestrada (segundo a Justiça) pelo pai, Alexandre, e a madrasta, Anna Carolina Jatobá. Os dois foram condenados a mais de 25 anos de cadeia. Ana recebeu pena de 26 anos e oito meses e Alexandre e 30 anos e dois meses. A morte  da garota chocou o Brasil e ganhou todo o noticiário da época. 

Pai e madrasta dizem que não mataram Isabella

Mesmo presos a seis anos em Tremembé, os dois negam que tenham cometido o assassinato da criança.

Publicidade
Publicidade

De acordo com o casal, o mais provável é que uma terceira pessoa teria cometido o #Crime. O caso chamou a atenção por envolver uma família com posses, além de existirem muitas dúvidas, já que não havia um retrospecto de agressões contra a garota. Horas antes da morte dela, a família passeou feliz em um mercado. Vizinhos também não ouviram nada, o que só aumentou a intriga a respeito do assunto. 

Nasce Miguel, o recomeço de Ana

Nesta quinta-feira, 27, Ana publicou a primeira foto do novo filho, Miguel. Ela não quer falar com a imprensa. As imagens foram divulgadas após uma entrevista dada ao programa de Augusto Liberato, da TV Record. Nas redes sociais, mutia gente prestou mensagens de apoio. "Você merece ser muito feliz. Tenha certeza que sua filha está na torcida para que você possa conseguir essa felicidade.

Publicidade

A Isabella também deve estar muito contente com esse irmãozinho lá do céu, onde olha por todos vocês", disse uma seguidora da mãe da garota assassinada. 

Em entrevista à uma revista dada antes de ter a criança, Ana Carolina disse que por muito tempo achou que nunca mais conseguiria ter uma outra família, mas que encontrou um conforto em seu novo companheiro. Ele também revelou receber muito preconceito das pessoas, mas também apoio. O casal agora tenta seguir junto como família e bem longe dos holofotes.  #Investigação Criminal