A presidente afastada Dilma Rousseff não será vaiada na abertura dos jogos olímpicos. Isso porque ela anunciou nesta segunda-feira, 25, que não estará na abertura da Olimpíada, que acontecerá já no próximo dia 5, a partir das 20h no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro. "Eu não pretendo participar da Olimpíada numa posição secundária”, disse ela em mais uma das entrevistas que tem dada para a imprensa internacional. Dessa vez, a revelação foi feita em uma conversa com uma rádio francesa. 

De acordo com uma matéria do 'Diário do Poder' publicada nesta terça-feira, 26, amigos da presidente já tinham a aconselhado a desistir de ir na abertura dos jogos.

Publicidade
Publicidade

Eles disseram o óbvio, assim como ocorreu na Copa do Mundo, a representante do Partido dos Trabalhadores (#PT) poderia ser vaiada. Além disso, estar em uma posição menor e ao lado do presidente em exercício Michel Temer, do PMDB, poderia gerar algum constrangimento. Temer avisou que por ele Dilma poderia ir, que ele não tinha qualquer constrangimento em relação ao assunto. "Se encontrar a Dilma não tem problema, não. Quem é educado pessoal e politicamente não tem esses constrangimentos", teria tentado amenizar ele ao falar da situação polêmica. 

O site diz também que em conversas com companheiros políticos Dilma lamentou não ter a chance de protagonismo após ter organizado os jogos. Ela ainda bate na tecla que o processo de impeachment é um "golpe parlamentar". Na entrevista à rádio francesa, Rousseff não detonou os problemas de momento, até porque de certa forma o que ocorre no Rio também tem seu dedo.

Publicidade

Ela disse que a segurança do Brasil é a melhor do mundo e que se os procedimentos forem seguidos à risca, não haverá chances do terrorismo se abater na cidade.

Nessa semana, um dos assuntos mais comentados foi o fato de diversas delegações terem reclamado da Vila Olímpica. Um atleta da Nova Zelândia, que não participa dos jogos, ainda acusou a Polícia Militar de o sequestrar e fazê-lo ir em caixas eletrônicos de todo o estado para sacar dinheiro.  #Dilma Rousseff