João Santana, conhecido pelo seu trabalho como marqueteiro do Partido dos Trabalhadores (PT), estaria disposto a contar tudo. A possível nova delação premiada dada a investigadores da principal Operação contra a corrupção no Brasil, a Lava Jato, acabou sendo dada com destaque nesta sexta-feira, 15, pelo site 'Diário do Poder'. Segundo a publicação, o marqueteiro da legenda que elegeu a presidente afastada #Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pode seguir os passos da mulher, Mônica Moura, e também abrir o bico. Antes o ex-funcionário do #PT tinha receio de como falar tudo, mas agora vê as negociações como uma maneira de obter benefício, afinal, ele pode ter a pena reduzida, caso o que fale se comprove. 

O casal foi detido ainda em fevereiro e desde então está em Curitiba, no Paraná.

Publicidade
Publicidade

Ele foram presos na vigésima terceira fase da Lava Jato. A delação, no entanto, ainda pode demorar. Isso porque os depoimentos dos dois podem acabar batendo em pessoas com foro privilegiado. Por isso, o processo não está mais nas mãos do juiz federal Sérgio Moro, mas sim do Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo o 'Diário do Poder', João Santana evitou ao máximo falar, temendo perder futuros clientes no ramo da publicidade. No entanto, as delações ficaram tão "congênitas" e presentes na Operação que ele estaria agora pensando em mudar de ideia. 

João, no entanto, já parece não ligar mais para a possibilidade de voltar a gerenciar campanhas eleitorais. Ele tinha todo um projeto para fazer isso no exterior, quando aconteceu a prisão. A defesa do ex marqueteiro nega qualquer tentativa de negociar uma delação, mas investigadores já falam que as negociações existem e estão classificadas como "mornas".

Publicidade

A investigação contra Santana apura dinheiro que teria sido recebido irregularmente por ele durante campanhas eleitorais. 

Por ter participado diretamente da campanha eleitoral de Dilma Rousseff, ele sabe bastante sobre a petista e seus aliados. Ou seja, havendo uma delação, Santana poderia envolver muitas pessoas.  #Impeachment