Oficialmente, o Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra, o MST, evita falar em debandada. Pelo contrário, em discursos oficiais tem dito que fará de tudo para evitar o "golpe parlamentar", referindo-se assim ao processo de impeachment que sofre a presidente afastada Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores. No entanto, na prática, os militantes estariam menos esperançosos com o futuro e também com o presente. Homens e mulheres tem quase zero de esperança no retorno de Dilma e a #Crise do momento, com o alimento cada vez mais caro, tem feito muita gente desistir do sonho, pelo menos temporariamente. 

Nossa reportagem conversou com um militante do MST que diz estar procurando emprego.

Publicidade
Publicidade

Ele preferiu não identificar seu nome, pois segundo o próprio, poderia ser hostilizado. "Minha ideia é conseguir algo agora. Fui até em um centro de apoio a desempregados. Estou precisando muito. O dinheiro está curto", contou ele. Vamos chamar esse homem de 'João'. O militante garante que como ele, muitos dos outros adeptos do Movimento dos Sem Terra, também procuram o mesmo objetivo, um emprego. O desejo ainda maior é que esse tenha carteira assinada e benefícios, como Plano de saúde.

"Eu e minha mulher vamos continuar a militar, realmente acreditamos nesse sonho. No entanto, não é porque milito que tenho que ficar parado. Precisamos comer", argumentou ele. Aos 45 anos, João está há 15 anos com o Movimento. Ele diz que conheceu o grupo quando estava do outro lado das manifestações, trabalhando para um fazendeiro. 

Com a saída de Dilma do poder, os recursos para movimentos sociais, como o MST, podem diminuir.

Publicidade

Isso explica bastante os motivos que levaram muitos deles a pressionarem o atual presidente em exercício, Michel Temer, do PMDB. Enquanto ainda existe alguma verba em caixa e a 'casa' não 'caiu', o grupo pretende não só defender Dilma, mas a si próprio. Por isso, as pautas dos manifestantes tem ganho peso e já podem virar ponte de debates com Michel Temer, algo que há pouco tempo os militantes se mostravam contrários.  #Empregos