O número de crimes no Rio de Janeiro diminuiu com a chegada de militares nas ruas da Cidade carioca. A sensação de segurança também está maior, mas nem por isso tudo são flores, pelo contrário. Nesta quarta-feira, 27, por exemplo, um grupo de chineses contou que passou por momentos de terror em um dos bairros nobres da cidade, a Glória, na Zona Sul. Os três chineses foram abordados por bandidos, que levaram R$ 10 mil dólares e R$ 10 mil, o que faz com que eles tenham perdido mais de R$ 40 mil na ação. Diversos assaltos do tipo já foram feitos nos últimos dias na cidade. O montante com os estrangeiros, no entanto, é o maior até agora. 

Os turistas também ficaram sem os passaportes ou telefones celulares.

Publicidade
Publicidade

De acordo com a Polícia Civil, a ocorrência foi registrada na delegacia do Catete. Em seguida, os chineses foram encaminhados ao setor especializado para turismos, que fica no Leblon. Os investigadores agora tentam identificar quem foram os homens que realizaram a ação. Por conta dessa alta criminalidade, muitos cariocas solicitam que os militares continuem nas ruas. "Intervenção militar já no Rio de Janeiro. Somos diariamente reféns de traficantes", disse uma internauta revoltada. 

Até mesmo a Justiça já vem solicitando para que o Exército continue na Rua, em especial nas Eleições deste ano. O pleito promete ser violento, já que meses antes das urnas serem abertas muitos pré-candidatos foram assassinados, especialmente em municípios da Baixada Fluminense. A violência assusta quem chega. Um jornalista australiano chegou a dizer que era preciso andar com seis seguranças nas ruas do Rio para se sentir em paz. 

Aliás, foi justamente com a Austrália as maiores polêmicas do momento desse início de jogos olímpicos.

Publicidade

O país reclamou da Vila dos atletas, que na imprensa de lá foi chamada de "favela olímpica". Muitas coisas ainda não estavam prontas quando eles chegaram para ocupar os apartamentos. 

Veja o vídeo que mostra o momento do assalto ao grupo chines que veio ao Rio de Janeiro:

#Crime #Investigação Criminal