Milena Santos ficou conhecida em todo o país depois de protagonizar um acidente governamental. Ela posou em fotos bem ousadas no gabinete do então marido, o Ministro do Turismo, Alessandro Teixeira. Além das fotos polêmicas, a beleza de Milena chamou a atenção de milhares de internautas. Até mesmo o fato do ex-Ministro ser bem mais baixinho que sua então amada virou motivo de piadas. O chefe da pasta acabou perdendo o cargo assim que a presidente Dilma Rousseff foi afastada.

Ele ainda ficou interinamente na pasta, mas bastou o presidente em exercício anunciar que não queria Alessandro para chefiar o turismo brasileiro para o casamento dele e da ex-Miss Bumbum ter chegado ao fim.

Publicidade
Publicidade

Fontes garantem que ele não gostou da forma como a moça se portou nas redes sociais e desde as fotos ousadas o relacionamento nunca mais foi o mesmo. 

Com isso, a mulher que disse ser a primeira dama mais bonita do governo brasileiro além de perder esse "cargo" também ficou sem marido. A informação foi confirmada nesta quarta-feira, 06, pela jornalista Keila Jimenez, do R7. Na rede social de Milena, ela não perdeu tempo e diz que não é mais casada. O status por lá é de "solteira" e já teve até uma atualização das fotos. Na imagem de perfil, ela aparece praticamente nua em frente ao Congresso Nacional. Para tampar as "vergonhas", a ex-Miss bumbum usa uma faixa presidencial.

De acordo com Keila Jimenez, amigos ligados ao casal que chegou ao Ministério do turismo confirmam que eles estão a pedir o divórcio.

Publicidade

Não foi informado como foi assinado o acordo matrimonial dos dois e se ele envolve bens. Lembrando que Alessandro ficou apenas quarenta dias na frente da pasta. Ele chegou a defender a então esposa, alegando que a intimidade do casal não deveria interessar à mídia.

Alessandro, no entanto, só esqueceu de lembrar que as imagens só foram descobertas porque a própria mulher dele, que aparecia de sutiã e calcinha no Facebook, fez questão de contar a grande novidade para todos. Ela também deu muitas entrevistas na época.  #É Manchete!