O empresário Fábio Porchat, pai do humorista do 'Porta dos Fundos de mesmo nome, acabou sendo citado por uma das testemunhas investigadas pela operação 'Boca Livre', que apura dos desvios de dinheiro da Lei Rouanet. A informação foi confirmada na noite desta terça-feira, 12, pelo jornal 'Folha de São Paulo'. A testemunha que citou Fábio é Katia dos Santos Piauy. Ela era uma das auxiliares administrativas da Bellini Cultural. A empresa teria fraudado a Rouanet em projetos que podem ter tirado dos cofres públicos até R$ 180 milhões. 

De acordo com a 'Folha de São Paulo', o depoimento da testemunha foi dado no dia 30. Ela diz que a empresa falsificava recibos de livros que deveriam ser doados, tendo assim isenção fiscal.

Publicidade
Publicidade

Para a fraude, a empresa receberia colaboração da Academia Latino-Americana de Artes (ALA), dirigida pelo pai de Fábio Porchat. A notícia também foi confirmada pelo jornal 'O Estado de São Paulo'. Muitos dos livros, segundo a testemunha, foram abandonados, não sendo, portanto, doados para pessoas carentes. 

A empresa além de não entregar muitos dos livros produzidos ainda superfaturava os valores para a produção deles. A Folha de São Paulo diz que procurou o empresário Fábio Porchat. Ele teria chegado a atender uma das ligações, mas depois não respondeu mais a reportagem. O filho dele já havia sido citado tendo recebido um cachê durante uma apresentação bancada com recursos da Rouanet para uma festa de aniversário de um escritório paulista. Porchat filho disse na época que não tinha como saber de onde vinha o dinheiro e que faz muitas apresentações.

Publicidade

Agora com o nome do pai também citado nas investigações as coisas podem complicar para o comediante, que estreará em breve na tela da TV Record. Ele terá um programa de entrevista na emissora do bispo Edir Macedo. O religioso tem tentado evitar polêmicas e evita até que seus contratados falem de política. Qual será a posição agora do canal em relação a esse assunto? O jeito é esperar para ver qual vai ser a reação do canal de comunicação.  #Crime #Casos de polícia