O juiz federal Sérgio Moro não quer entrar na Política.  "Quero lutar contra os corruptos", já avisou ele diversas vezes, que ainda indica que sua função tem muita pressão, mas que ama o que faz. A depender de Moro, novos políticos e empresários criminosos vão ter que prestar contas com a Polícia Federal, podendo parar na chamada "República de Curitiba", sede da PF no Paraná. De acordo com informações da 'Coluna Esplanada', muitos partidos estão assediando o homem que é uma das 100 personalidades mais influentes do mundo (segundo a revista americana 'Time'). Entre os partidos, curiosamente muitos de esquerda, que tem forte apego com o Partido dos Trabalhadores (PT), justamente a legenda que tem vários políticos encrencados na #Lava Jato, operação coordenada por Moro que investiga o dinheiro desviado da maior estatal brasileira, a Petrobras. 

A Coluna Esplanada cita legendas como o PSOL, o PCdoB, a Rede e o PDT.

Publicidade
Publicidade

Pelo menos todas essas já teriam procurado moro para tentar uma filiação. O juiz paranaense teriam dito NÃO a todas elas. Curiosamente, o PDT é o celeiro eleitoral e político da presidente afastada Dilma Rousseff. Antes de ir para o PT, era lá que ela tentava caminhar na vida política, vendo seu ex-marido ter cargos interessantes na legenda. Rousseff não conseguiu nem se eleger vereadora pelo PDT. Ela nunca foi uma pessoa popular. Apenas o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez com que a petista virasse um nome forte da política. 

Muitas pesquisas eleitorais, mesmo não tendo Sérgio Moro filiado a nenhum partido, tem nele um possível candidato à presidência da república. Em algumas delas, ele aparece com 5% das intenções de voto. Isso ocorre porque mesmo os entrevistadores não citando o nome dele, quem responde diz o nome do juiz.

Publicidade

Estima-se que caso ele confirme uma candidatura, esse número dispare, mas quem está perto do juiz garante que ele não sonha em ser presidente do país, mas sim com um cargo no Supremo Tribunal Federal (STF), que pode estar por vir.

Sérgio Moro garante que disputar o pleito é uma possibilidade nula “nas próximas ou em qualquer eleição”.  #Corrupção