Um polêmico vídeo foi publicado nessa semana nas redes sociais. Ele mostra um pastor evangélico dizendo claramente que a Rede Globo de Televisão sacrificaria crianças para ter sucessos em suas novelas. Ele ainda conta que a atual presidente afastada do país, Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores, faria rituais satânicos e que seu governo estaria trazendo o demônio para o Brasil, ao deixar que homossexuais se casassem aqui no país. 

Durante todo o culto, o pastor diz que para cada novela que entra no ar na TV Globo, a emissora sacrifica pelo menos seis criancinhas. O religioso diz que as novelas fazem sucesso, mas que em troca levam coisas do diabo para os telespectadores, citando romances gays e violência na trama.

Publicidade
Publicidade

O pastor diz que o "caboclo de orixá" entra na casa dos telespectadores durante a exibição dramatúrgica. Para argumentar sua fala, ele cita que mulheres chegam a deixar que a comida de casa queime no formo por dar atenção demais aos produtos da TV Globo. 

Ele não para por aí e diz que os fiéis que assistem as novelas do canal da família Marinho terão que prestar contas no juízo final com Deus, sabendo que são responsáveis pela morte de seis criancinhas para cada novela que assistem. O religioso ainda cita uma estatística feita por ele em 2004, que mostraria que o Brasil é o país com mais crianças desaparecidas do mundo. 

Ele continua com a teoria da conspiração e argumenta que essas crianças não estão sumidas, mas que foram mortas pela Globo, pelo menos seis delas em cada obra dramatúrgica.

Publicidade

Não é a primeira vez que líderes evangélicos fazem pregações contra a TV Globo. Vídeos mais antigos mostram até a exorcização do canal ao vivo. Uma pessoa dizendo que estava possuída do demônio revelou ao vivo na TV Record que todos deveriam não assistir a maior concorrente da emissora de Edir Macedo.

Em tempo, nunca houve qualquer prova de que a Globo sacrifica crianças. 

Veja abaixo o vídeo em que o pastor fala sobre supostos rituais satânicos realizados pela Rede Globo de Televisão:

#É Manchete!