Um polêmico episódio envolvendo uma celebração evangélica voltou a repercutir nesse fim de semana nas redes sociais. As imagens mostram o que seria Ingrid Duque, uma bispa da Igreja Apostólica Plenitude do Povo de Deus. Durante o culto, que teria sido gravado em março deste ano, ela faz uma espécie de exorcização de um rapaz homossexual. A cena foi gravada por uma pessoa infiltrada da igreja. Outra mulher chega a pedir que a pessoa que filma pare de realizar as imagens, pois ela não seria da Congregação e não teria qualquer autorização para realizar o vídeo. 

A bispa é conhecida por ser esposa de Agenor Duque. Em junho do ano passado, ele já havia provocado polêmica ao usar um programa de televisão para dizer que um de seus fiéis seria curado. "Você quer se curar?", disse ele na época ao microfone."O que você tem?" Ah, homossexualidade?", continua o pastor até começar o que seria uma exorcização.

Publicidade
Publicidade

No passado, um pastor evangélico chegou a tentar criar uma lei que permitisse a "cura gay" nas igrejas, mas esse nunca teve qualquer andamento. Psicólogos e especialistas na área da saúde dizem claramente que ser gay não é uma doença, tampouco que possa ser "curada", o que impediu que projetos do tipo tivessem andamento na Câmara dos deputados. 

Polêmico culto

Mas voltando ao culto com a bispa, que gerou repercussão por causa de um vídeo. A religiosa chega a dizer que agora ele "vai ter nojo de homens". O rapaz chega a cair no chão e grita, parecendo para muitos fiéis que estaria incorporado com algum espírito ruim. A gravação termina depois que a pessoa que estava filmando é impedida de continuar com as imagens. 

Só um dos vídeos, que exibe a polêmica sequência de imagens, tem mais de sete mil exibições.

Publicidade

Veja abaixo as imagens:

Pastor preso

Recentemente, um pastor de outra igreja virou notícia em todo o país. Ele foi acusado pela ex-mulher, Bianca Toledo, que também é pastora, de ter abusado sexualmente do próprio enteado, um menino de dois anos. Bianca disse que o ex-esposo tinha um "quadro latente de homossexualidade" e foi criticada. O homem nega o abuso e responde em liberdade.   #É Manchete!