A manhã de domingo foi agitada em Brasília e, desta vez, não foi por causa da política. Um morador do bairro de São Sebastião, com nacionalidade paquistanesa, foi denunciado por sua esposa, a qual disse à polícia que ele era, na verdade, argelino. O disfarce era intencional, pois tinha a missão de fazer história na Capital da República, explodindo o Aeroporto Internacional de Brasília.

Entenda como tudo ocorreu

Neste domingo (10), a companheira de um 'paquistanês' revelou à polícia que o seu marido tinha planos estratégicos para a Capital Federal. O argelino, segundo ela, tinha a intenção de fazer estragos enormes no Aeroporto e tinha guardado  uma grande quantidade de explosivos em sua residência.

Publicidade
Publicidade

A polícia, ao tomar conhecimento dos fatos, tratou de reunir a corporação, fechando o cerco e interrompendo todos os meios de comunicação daquela área residencial até que a abordagem do indivíduo fosse realizada.

Após a captura, os policiais seguiram para a 6ª Delegacia de Polícia do Paranoá, responsável pela demanda de São Sebastião, onde o suspeito ficou detido. 

Outra equipe do Batalhão das operações especiais da PM/BOPE fez ronda pelas proximidades da casa em busca de de provas e dos supostos explosivos citados pela mulher, mas nada foi localizado.

O suspeito afirmou ser da Argélia e ressaltou que tem outra família: esposa e filhos, no Paquistão. Declarou que, para casar-se legalmente com a atual esposa, fez uma certidão de óbito da outra, paquistanesa. O suspeito deve permanecer no núcleo de Custódia da Polícia Federal para todas as investigações legais.

Publicidade

Órgãos de inteligência preparam estratégias para as Olimpíadas Rio-2016

O momento pode ser bastante oportuno para os possíveis ataques terroristas, pensando nisso, os órgãos de segurança junto ao serviço de inteligência do país, articulam estratégias para impedir qualquer agressão que possa prejudicar a segurança pública da nação.

A primeira ação conjunta entre os agentes foi à consagração do CESI (Comitês Executivo de Segurança Integrada), em âmbito nacional que apresenta a integração dos órgãos da ABIN, Casa Civil da Presidência da República, Ministério da Justiça e Ministério da Defesa. O órgão será encarregado pela tomada de todas as decisões durante o período das Olímpiadas, ou seja, uma espécie de Corte Superior.

Para fortalecer essa estrutura, um grupo de trabalho antiterrorismo (GT #Terrorismo) apresentou a elaboração do Comitê Integrado de Enfrentamento ao Terrorismo (CIET). Trata-se de uma estrutura especializada, formada por uma equipe muito bem qualificada, que reúne a capacidade de prevenção e reação do país, em situações de perigos iminentes, os quais envolvam ameaças terroristas nas Olimpíadas Rio-2016. #Crime #Casos de polícia