Um partidário do Partido dos Trabalhadores, o PT, usou seu perfil no Twitter para ameaçar o juiz federal Sérgio Moro, a quem chama de "bandido". Pelo visto, ele não tem gostado muito do trabalho do magistrado durante a Operação Lava-Jato. A informação foi dada com destaque no blog político 'O Antagonista' nesta segunda-feira, 18. O internautas, que seria redator esportivo escreveu: "Na Turquia, prenderam 247 juízes. Aqui não farão isso. Mas você pode tranquilamente levar um tiro na cabeça."

Nas redes sociais, o homem que preservaremos a imagem usa uma camisa com o rosto da presidente afastada Dilma Rousseff e se intitula como ex-jogador de futebol e técnico.

Publicidade
Publicidade

O blog político sugere que a Polícia Federal, que faz muitas parcerias com Sérgio Moro, tome uma atitude para defender a integridade física do juiz. Esse tipo de ameaça, no entanto, acabou se tornando muito comum na internet, não só contra Moro, mas também contras outros juízes que apenas realizam bem o seu trabalho. Em diversas reportagens, magistrados exibem toda a segurança que ronda a rotina diária, que acaba inevitavelmente cercada de medo. 

Na semana passada, em um discurso feito em Washington, nos Estados Unidos, Sérgio Moro disse que poderia sair da Lava Jato ainda neste ano. Ele disse que a menos que surjam novas evidências haverá uma continuidade por parte dele da Operação. Quem continuaria, no entanto, a julgar vários processos é o Supremo Tribunal Federal (STF), conhecido por ser bem mais lento que a #Justiça comum.

Publicidade

É pensando nisso que diversos políticos usam seus advogados para tentarem manobras. 

O ex-presidente da Câmara dos deputados, Eduardo Cunha, do PMDB, por exemplo, tenta tirar das Mãos do magistrado a mulher dele, a jornalista Claudia Cruz. Quem também tenta apoio do Supremo e que ficar longe do juiz da Lava-Jato é o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que teve áudios capciosos divulgados pelo profissional da Justiça. Um deles, já invalidado pelo Supremo, mostra uma conversa com Dilma sobre a posse no Ministério da Casa Civil.  #Impeachment