Uma manobra misteriosa está a chocar muitas pessoas em Brasília. Um projeto que corre quase secretamente nos bastidores do governo federal pode vender apartamentos funcionais a preço de banana para quem os ocupa hoje, servidores petistas que mesmo com o afastamento da presidente afastada Dilma Rousseff não deixam as residências. A informação foi confirmada nesta terça-feira, 05, pelo jornalista Cláudio Humberto, do site 'Diário do Poder'. Segundo ele, a iniciativa teria apoio até mesmo do Ministério do Planejamento. A compra e venda dos apartamentos terá como preferência quem já esta ocupando eles. 

Dessa forma, os "sortudos" podem ganhar uma bolada.

Publicidade
Publicidade

Isso porque a região é muito valorizada e o preço da venda seria abaixo de mercado. Atualmente, o metro quadrado em Brasília é o mais caro do Brasil, seguido por regiões como o Rio de Janeiro e São Paulo. Além do alto poder aquisitivo de quem mora no Distrito Federal (média geral da população), os preços inflam pelo fato de existirem menos opções de compras do que nas outras regiões do país.

Quem tem se dado bem com isso tudo são os militantes do Partido dos Trabalhadores, que ocuparam os apartamentos funcionais nas gestões do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da presidente afastada Dilma Rousseff. De acordo com o colunista do 'Diário do Poder', a venda tenebrosa incluiria até um projeto que cria uma exceção à lei. Com isso, os cidadão não poderiam comprar os imóveis pelos mesmos valores ou até ofereceram mais por eles, descumprindo assim uma lei básica de mercado, que envolve a oferta versus a procura. 

Ao todo, segundo Cláudio Humberto, 1.490 apartamentos podem estar no alvo dessa "ambição perigosa".

Publicidade

Desses, apenas cerca de 10%, ou então 149 imóveis, estão desocupados. O Ministro Dyogo de Oliveira, que mora em um desses apartamentos há três anos, beneficiaria-se com um projeto que apoia. Ele, que faz parte do governo do presidente em exercício Michel Temer, do PMDB, não tem feito qualquer oposição ao projeto polêmico.  #PT #Crime