Uma multidão realizou na tarde deste domingo, 03, um protesto simpatizante ao deputado federal Jair Bolsonaro. O político eleito pelo PSC do Rio de Janeiro é conhecido por dizer o que pensa e, por isso, acabar se metendo em muitas polêmicas. O protesto ocorreu no Centro de São Paulo, em plena Avenida Paulista. Mais de duas mil pessoas teriam participado da #Manifestação. De acordo com o UOL, no entanto, um grupo menor, formado por 50 pessoas, acabou se desentendendo com pedestres que supostamente seriam favoráveis ao Partido dos Trabalhadores (PT). Muitos deles usavam roupas vermelhas. 

Não havia carros no local, pois aos domingos a Avenida Paulista já fica fechada para o lazer.

Publicidade
Publicidade

Os dois grupos se desentenderam e petistas teriam entrado em confronto físico com algumas pessoas fãs de Bolsonaro. A Polícia Militar então agiu com força e evitou que as agressões pudessem ser mais graves. 

Por conta da confusão, organizadores teriam pedido a escolta da Polícia Militar, que continuou com o enorme grupo durante todo o trajeto. Os militares fizeram uma espécie de cordão humano. Os "bolsonáticos", como muitos se intitulam, carregam bandeiras do estado de São Paulo e do Brasil. Outros preferiram levar a foto de Jair Bolsonaro. Uma das principais críticas do grupo foi ao fato de, recentemente, o Supremo Tribunal Federal (STF) ter aberto um inquérito contra o político, que passa a ser investigado como tendo feita uma suposta incitação ao estupro. 

Bolsonaro também é investigado por outro fato.

Publicidade

No dia 17 de abril, durante a votação do prosseguimento do impeachment contra a presidente afastada Dilma Rousseff, ele fez uma menção ao Coronel Brilhante Ustra, que é considerado um dos maiores torturadores da ditadura. Ustra teria quebrado o maxilar de Dilma, quando essa foi presa durante o regime militar. A presidente afastada chegou a chorar publicamente ao lembrar desse período na prisão.

De acordo com uma página que organiza o evento a favor de Bolsonaro, outras cidades teriam recebido atos em prol dele, como o Rio de Janeiro.  #Protestos no Brasil