Na manhã desta segunda-feira, dia 1º de julho, a Polícia Federal deflagrou mais uma nova operação que faz parte da "#Lava Jato" e desta vez quem está na mira é o doleiro Lúcio Funaro, que tem uma forte ligação com o deputado Eduardo Cunha. A PF já tem o mandado de prisão contra o doleiro e também tem autorização para realizar busca e apreensão em várias empresas do grupo JBS Friboi, um dos maiores do Brasil.

Logo no início da manhã desta sexta-feira, o termo "Friboi" já estava entre os assuntos mais comentado do Twitter e eram muitos os comentários a respeito desta nova fase da operação. O lobista Milton Lira é outro que está na mira da #Polícia Federal e de acordo com a Procuradoria Geral da República, Lira teve o seu nome citado em um documento que foi escrito à mão.

Publicidade
Publicidade

Esta prova teria sido encontrada na residência de Diogo Ferreira, que foi chefe de gabinete de Delcídio do Amaral. O documento, de acordo com a Procuradoria Geral da União, deixava clara a participação de Lira junto ao banco BTG em parceria com alguns deputados do PMDB, entre eles, Eduardo Cunha.

Além do Distrito Federal, a Polícia Federal saiu logo cedo para cumprir mandados em mais três estados, inclusive em São Paulo, tendo como base para esta ação as informações fornecidas por Fábio Cleto em sua delação premiada. Fábio era presidente de Fundos de Governo e Loterias da CEF e um dos grandes aliados de Cunha. Apesar da parceria, em sua delação premiada, Cleto revelou que o deputado Eduardo Cunha chegou a receber dinheiro de propina em razão de alguns negócios com o Fundo de Investimentos do FGTS.

Publicidade

Teve ainda a delação premiada de Sérgio Machado, onde ele diz ter ouvido por diversas vezes de senadores, a alegação de que o grupo JBS Friboi estava se preparando para doar R$ 40 milhões para as campanhas de alguns candidatos peemedebistas que queriam chegar ao senado. O Grupo Friboi foi surpreendido com esta operação e por enquanto não emitiu uma nota comentando o caso e enquanto isto nas redes sociais, muitos são os comentários a respeito.

#Corrupção