A Polícia Federal está utilizando todos os recursos para conseguir impedir que os terroristas consigam recrutar brasileiros e coloquem seus planos em ação durante os Jogos Olímpicos e por isto se infiltraram em alguns grupos no #WhatsApp e também no Telegram, aplicativos utilizados pelo Estado Islâmico para recrutar, treinar e passar as ordens aos seus seguidores.

A operação "Hashtag" foi deflagrada na manhã desta quinta-feira (21) e mostrou como a PF conseguiu ter acesso às mensagens que estes grupos vinham trocando e além de comemorarem os atentados terroristas em outros países, já se preparavam para agir aqui no Brasil.

Alexandre Moraes, ministro da Justiça, deu uma entrevista e foi questionado pelos jornalistas sobre como a PF conseguiu monitorar estas conversas no WhatsApp, já que todas as mensagens são criptografadas, o que torna impossível que qualquer pessoa tenha acesso, inclusive a Justiça chegou a bloquear os serviços da empresa esta semana justamente por causa desta questão.

Publicidade
Publicidade

O ministro não quis dar detalhes de como a investigação foi realizada, mas como é impossível monitorar de fora as mensagens trocadas no aplicativo, o certo é que agentes da polícia estiveram infiltrados nestes grupos, se passando por candidatos brasileiros ao grupo terrorista e assim conseguiu descobrir como todo o esquema funcionava. Alexandre contou como é triste ver as pessoas participantes destes grupos, comemorando o último atentado, ocorrido em Nice e também o anterior que ocorreu na França.

A Justiça Federal do Paraná chegou a expedir 12 mandados de prisão temporária e graças à quebra de sigilo telefônico destes integrantes foi possível descobrir que eles preconizam a intolerância religiosa, racial e de gênero, além de trocarem informações sobre o uso de armas e táticas utilizadas em guerra.

Publicidade

O ministro da Justiça também revelou que alguns dos brasileiros presos na "Operação Hashtag" chegaram a fazer um juramento de lealdade ao Estado Islâmico pela internet e estavam dispostos a tudo, inclusive a perder a vida pelo grupo terrorista. #Terrorismo #Ataque Terrorista