A segurança das Olimpíadas do Rio de Janeiro tem preocupado as autoridades. Inicialmente, chegou a se falar que não haveria qualquer risco de atentado terrorista aos jogos, mas agora o discurso é completamente outro. Diversos meios de comunicação já dão notas de como os políticos nacionais e internacionais estariam sob a mira do terror. Nesta terça-feira, 19, por exemplo, a jornalista Monica Bergamo publicou no jornal 'Folha de São Paulo' que o Itamaraty pode trocar o local de uma festa que faria para chefes de estado de todo o planeta. Até então, a celebração seria realizada no Centro do Rio de Janeiro, nas dependências do órgão, mas agora já se fala na mudança. 

O Itamaraty nega que fará as mudanças e que não está preocupado mais do que o normal com a segurança dos políticos de todo o mundo.

Publicidade
Publicidade

Ao todo, pelo menos 45 líderes de todo o mundo já confirmaram a presença na abertura dos jogos olímpicos, até mesmo o presidente da França, François Hollande, ainda mantém sua presença por aqui. No entanto,  depois do que aconteceu na cidade de Nice, na França, e do Estado Islâmico anunciar que pode fazer um atentado contra a delegação de atletas franceses que vem ao Rio, tudo é possível. Seria compreensível que ele cancelasse sua chegada até à cidade.

Uma jornalista do jornal americano Washington Post disse que o Rio de Janeiro está contando com a sorte, já que depender da real segurança da cidade, uma tragédia estará por vir. Diversos órgãos internacionais também criticam a postura da segurança só realmente ser pensada em nível máximo faltando menos de um mês para os jogos. O governo brasileiro, através do Ministério da Defesa, nega essas informações.

Publicidade

O órgão garante que apesar de não trabalhar com um provável atentado terrorista, seus militares treinam como se esse realmente fosse real. Mesmo após o atentado na França, o governo brasileiro disse que uma ação do tipo no Brasil seria muito improvável, até mesmo nos jogos olímpicos. De qualquer forma, a segurança na cidade acabou sendo reforçada.  #Terrorismo