A tocha olímpica está causando várias polêmicas em todo o país. Nesta quinta-feira, 14, por exemplo, ela passará pela cidade de Curitiba, no Paraná. No entanto, a passagem não será ao estilo paz e amor. Muitas pessoas não estão satisfeitas com a visita do elemento olímpico. Pelo menos dois grupos no Facebook já se organizam para tentar apagar o símbolo olímpico. Tudo é feito pela rede social e a Força Nacional acompanharia tudo de perto. Nas últimas semanas, vimos brasileiros na saga de tentarem apagar o fogo da tocha, mas eles não foram tão bem na resolução dessa questão. Alguns foram até presos e tiveram que pagar fianças de até R$ 1 mil. A fiança, no entanto, não impede que essas pessoas sejam processadas por intervirem contra o símbolo das olimpíadas. 

Em um dos grupos, a descrição diz que a ideia é mostrar que o país e o mundo não estão nada satisfeitos dos jogos serem realizados aqui.

Publicidade
Publicidade

O grupo cita os vários esquemas de corrupção investigados pela Justiça e pela Polícia Federal, além da crise econômica e política no país, que culminou até mesmo com o impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT).

Para estimular que as pessoas apaguem a tocha, um site de financiamento coletivo foi criado. O objetivo é criar uma vaquinha para pagar as fianças de quem tentar derrubar a tocha. A meta é atingir pelo menos R$ 2 mil. Isso dá para pagar por dois presos. A revolta ocorre depois de inúmeras polêmicas no próprio revezamento. Quem carrega a a tocha precisa pagar R$ 2 mil para levar ela para casa. Em um dos eventos, na Amazônia, uma onça posou com o símbolo que representa os jogos. O animal, no entanto, fugiu horas depois e acabou sendo morto por militares.

Publicidade

O uso de animais também foi visto em outras cidades. O Brasil virou piada em todo o mundo por conta desse tipo de situação. Nesta terça-feira, 13, de acordo com a Veja, a Força Nacional de segurança, que faz a guarda do acessório, estaria pensando em pedir dispensa no Rio de janeiro por atrasos de pagamentos e más condições de moradia.  #Investigação Criminal #Rock in Rio